Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

ONG alerta que pandemia agravou a situação de cães e gatos de rua e que governos locais precisam adotar políticas eficazes em relação ao manejo populacional humanitário desses animais

Londrina está entre as cidades brasileiras já inscritas na segunda edição do prêmio "Cidade Amiga dos Animais". A iniciativa foi criada pelo programa "Animais em Comunidades", da ONG Proteção Animal Mundial, e tem como objetivo reconhecer as melhores estratégias de governos latino-americanos para lidar com populações de cães e gatos em situação de rua.

Pela primeira vez na disputa, Londrina está concorrendo em uma categorias: tutela responsável de animais.

A Proteção Animal Mundial alerta sobre a importância de colocar iniciativas que envolvam cães e gatos de rua em pauta. O aumento do número de animais abandonados durante a quarentena cresceu 20% em todo o Brasil, um dos motivos é a diminuição da renda familiar, bem como a desinformação de que pets podem transmitir o novo coronavírus.

"Diante deste cenário, mais do que nunca, os governos locais precisam adotar políticas eficazes em relação ao manejo populacional de animais de rua - visando o bem-estar de toda a comunidade com o controle de natalidade, disseminação de zoonoses e multas/ fiscalização para coibir o abandono", destaca Rosângela Ribeiro, gerente de programas veterinários da Proteção Animal Mundial. "As práticas reconhecidas pelo prêmio podem ser aplicadas em diferentes praças, mesmo sem grandes aportes financeiros, por isso, assim que os vencedores forem anunciados divulgaremos gratuitamente os cases em um e-book que ficará disponível em nosso website", completa.

As inscrições já foram encerradas e os vencedores serão conhecidos no dia 19 de outubro, por meio de publicação no site da organização.

O prêmio Cidade Amiga dos Animais conta com o apoio do Centro Colaborador da OIE em Bem-Estar Animal e Sistemas de Produção Pecuária do Chile, Uruguai e México, da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), do Instituto Técnico de Educação e Controle Animal (ITEC), do Conselho Federal de Medicina Veterinária e Zootecnia do Brasil (CFMV) e da Associação Mundial de Veterinários de Pequenos Animais (WSAVA).

Proteção Animal Mundial (World Animal Protection)

A Proteção Animal Mundial (anteriormente conhecida como Sociedade Mundial para a Proteção Animal) mudou o mundo para proteger os animais por mais de 50 anos. A organização trabalha para melhorar o bem-estar dos animais e evitar seu sofrimento. As atividades da organização incluem trabalhar com empresas para garantir altos padrões de bem-estar para os animais sob seus cuidados; trabalhar com governos e outras partes interessadas para impedir que animais silvestres sejam cruelmente negociados, presos ou mortos; e salvar as vidas dos animais e os meios de subsistência das pessoas que dependem deles em situações de desastre. A organização influencia os tomadores de decisão a colocar os animais na agenda global e inspira as pessoas a mudarem a vida dos animais para melhor. Para mais informações acesse: www.protecaoanimalmundial.org.br

Daniela Bianchini/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios