Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Em reunião com representantes das forças armadas, General Joarez Alves Pereira Junior, que visitou a cidade, informou ao prefeito, que o município foi incluído na disputa para instalação de um centro de formação

Na tarde da quarta-feira (27), uma comitiva do Exército Brasileiro apresentou, ao prefeito Marcelo Belinati, proposta do Ministério da Defesa para implantação de uma nova Escola de Formação de Sargentos de Carreira do Exército Brasileiro. Londrina é uma das quatro cidades que concorrem para sediar essa nova escola, responsável por centralizar a formação de 2.500 sargentos, a cada ano, e envolverá um efetivo composto por mais de quatro mil pessoas.

Para conhecer a cidade e apresentar a proposta ao Município, vieram o general da Divisão R/1 e gerente do Projeto, Joarez Alves Pereira Junior; os coronéis Luiz Henrique Salonski e João Gustavo Barbosa Albuquerque; mais o deputado federal Filipe Barros, que articulou a vinda da comitiva para Londrina.

O prefeito Marcelo Belinati enfatizou que toda a Prefeitura irá atuar com empenho, juntamente com entidades da sociedade civil e demais esferas de governo, para que Londrina receba a Escola de Formação de Sargentos. “É uma grata satisfação, e uma honra muito grande, saber que entre mais de cinco mil municípios do Brasil, Londrina está concorrendo para receber a Escola de Sargentos. Vamos ter todo o empenho da cidade, com união de deputados federais e estaduais, da sociedade civil organizada, e da Prefeitura, para que, em um prazo curto de tempo nós possamos fazer uma proposta de áreas que poderiam receber a Escola de Sargentos”, detalhou.

Segundo o prefeito de Londrina, o município contempla todas as necessidades que o projeto determina, como infraestrutura, acessibilidade e interligação com outras cidades. Frisou ainda que abrigar essa estrutura, que ocupará em torno de cinco mil hectares, trará muitos benefícios também para a população londrinense. “Vamos trabalhar no sentido de encontrar um local adequado, pois temos a exata noção da importância dessa vinda do Exército para nossa cidade. São milhões de reais em investimentos, mas, muito além disso, milhares de pessoas que passariam a morar aqui. É algo muito importante para a economia da cidade, e nós vamos trabalhar com todo empenho, e com união, para viabilizar a vinda da Escola de Sargentos a Londrina”, garantiu.

O general Joarez Alves Pereira Junior, que gerencia o projeto, explicou que se trata de um planejamento de longa data feito pelo Exército Brasileiro, com o intuito de centralizar a formação de sargentos. “Essa sempre foi uma prioridade, investir na capacitação do nosso pessoal. E queremos reunir as escolas de sargentos em um único local, com premissas basilares, para termos homogeneidade nessa formação”, citou.

Além de Londrina, também estão na disputa Recife, Santa Maria e Ponta Grossa. “Pelo que vi de Londrina, a cidade comporta, com perfeição, essa nova escola. É um grande desafio ter o local adequado, mas pela visita que fizemos algumas áreas parecem promissoras. Precisamos trabalhar e avaliar para ver se atende, e se é possível o seu uso pelo Exército Brasileiro. Mas vejo aqui muita efetividade, e esperamos até o final do semestre uma proposta formalizada e documentada, que será levada ao comando do Exército”, detalhou o coronel.

Primeiro a propor Londrina como sede da futura Escola de Sargentos de Armas, o deputado federal Filipe Barros reforçou que a vinda deste equipamento trará ainda mais desenvolvimento para a cidade e seu entorno. “Apesar de já ter outras cidades pleiteando, quando indiquei Londrina o general se propôs a nos ouvir, e a vir até aqui para conhecer. E agradeço às entidades do setor produtivo, sempre envolvidas em questões importantes, que abraçaram essa causa e estão dando toda a atenção necessária. Em Londrina, quando a causa é boa, atuamos juntos, e essa união faz a diferença. Juntos, faremos o que estiver ao nosso alcance para que esse projeto dê certo, e que será para todos os londrinenses uma grande honra”, disse.

Antes da reunião no gabinete do prefeito, a comitiva do Exército Brasileiro sobrevoou locais estratégicos da cidade, a convite do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-PR Norte). “Assim que ficamos cientes dessa proposta, uma equipe do Sinduscon localizou, dentro da região metropolitana de Londrina, as pouquíssimas áreas disponíveis nas dimensões que o Ministério da Defesa precisa. Encontramos seis locais potenciais na região, mapeamos e buscamos informações sobre eles, e apresentamos em mapa ao general. Fizemos hoje um sobrevoo desses locais, pois é muito importante que eles conheçam a topografia da região, a orografia dos terrenos, quais as estruturas já existentes como moradias, agricultura, e outras, para fazerem sua tomada de decisão. Precisamos, juntos, construir a solução para que essa Escola venha para Londrina, e vamos usar todos os recursos disponíveis mostrando que temos vontade, necessidade, e queremos eles aqui”, ressaltou o presidente do Sinduscon-PR Norte, Sandro Marques de Nóbrega.

Ao final da apresentação, foi formado um grupo de trabalho que ficará responsável por avaliar as áreas em Londrina aptas a abrigar o centro de formação do Exército, assim como as moradias e demais estruturas que compõem a Escola de Formação de Sargentos. O responsável pela Prefeitura de Londrina, será o secretário de Gestão Pública, Fabio Cavazotti, que participou da reunião.

O encontro teve ainda a participação do vice-prefeito, João Mendonça; chefe de Gabinete da Prefeitura, Moacir Sgarioni; deputados estaduais Tiago Amaral e Tercílio Turini; o agropecuarista e colaborador emérito do Exército Brasileiro, Oezir Kantor; entre outras lideranças da cidade.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios