Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Desde 2017, a administração municipal toma medidas que priorizam o desenvolvimento a partir do planejamento, transparência e diálogo; ano de 2021 foi um marco

O ano de 2021 trouxe muitas notícias e perspectivas positivas para Londrina, mesmo com o decorrer da pandemia. Apesar do cenário mundial mostrar-se difícil durante vários meses, a Prefeitura, por meio do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel) e secretarias municipais, criou condições para que o ambiente de negócios fechasse o ano com análises e fatos positivos. 

Ao fazer um balanço do ano, o prefeito Marcelo Belinati considerou que o grande trunfo da cidade foi a união dos setores produtivos, capitaneada pela Prefeitura. “Trabalhamos com muita transparência, diálogo e planejamento. Isso trouxe resultados incríveis para Londrina, que consegue viver um momento excepcional. Contamos com empreendedores arrojados,  mão de obra qualificada e de alto nível, e somos referência em inovação. Isso só reforça o quanto Londrina é diferenciada e que temos muito potencial”, frisou.

O presidente da Codel, Bruno Ubiratan, lembra que o MasterPlan Londrina 2040,  planejamento estratégico para os próximos 20 anos, reforçou a opção por uma cidade inovadora e aberta a novos investimentos.  “A elaboração e conclusão do MasterPlan, que era demanda antiga de vários segmentos, simboliza bem o quanto Londrina amadureceu, ao conseguir uma parceria sadia do público com o privado, que agora pensam juntos o futuro da cidade”, citou.

A seguir, alguns dos fatos que repercutiram ao longo do ano e que compuseram o mosaico do desenvolvimento na cidade:

Em dezembro, o IBGE divulgou que o PIB de Londrina, de 8,2%, foi o maior entre as grandes cidades do interior do Paraná em 2019. O instituto apura os índices municipais com dois anos de defasagem. Londrina foi apontada também como a terceira maior economia do Paraná, tendo o PIB total (serviços, indústria e agropecuária) de R$ 21,599 bilhões, depois de Curitiba e São José dos Pinhais.

Também em dezembro foi concluído e entregue o Masterplan Londrina 2040, cujo planejamento foi contratado pelo Município. Um sonho antigo do empresariado e dos setores do conhecimento e da economia criativa, o gerenciamento passa agora a ser de responsabilidade do Núcleo Empresarial de Londrina, para que o poder público venha a ser cobrado com maior autonomia pelas entidades que participaram da elaboração do plano. 

Em novembro, foram concluídas as obras do Tecnocentro, que abrigará já no início do ano que vem parte do Ecossistema de Inovação de Londrina. Uma obra que ficou paralisada por mais de 10 anos. 

Durante todo ano foi mantido diálogo permanente e atuação junto às dez governanças que compõem o Ecossistema de Inovação de Londrina.

Em maio, a Prefeitura e entidades lançaram o Pacto pelo Desenvolvimento, em torno de cinco propostas estruturantes para a cidade. Uma delas é a atração de indústrias de tecnologia e inovação.

No meio do ano, uma das maiores empresas de elevadores do mundo, a Atlas Schindler transferiu a sede administrativa para junto da indústria de Londrina, ampliando a equipe com dezenas de vagas qualificadas.

No final do ano, o consórcio CCR arrematou em leilão nacional o Bloco Sul dos aeroportos. O início das operações e investimentos em Londrina está previsto para primeiro trimestre de 2022.

NCPML

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.