Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Com apoio do Sebrae/PR, grupo pretende promover ambiente inovador e tornar o comércio londrinense referência

O comércio de Londrina acaba de ganhar um aliado na missão de se tornar um setor mais forte e inovador. Com apoio do Sebrae/PR, um grupo formado por empresas, instituições de ensino superior, poder público e entidades criou uma governança que pretende fazer do comércio londrinense referência nacional.

Um dos setores importantes da economia londrinense, o comércio se viu diante da carência de um ambiente de inovação que pudesse impulsionar as empresas locais, como já ocorreu com outros setores. “Constituiu-se, então, essa governança, um grupo que se consolidou nos últimos meses e já criou uma agenda que vai fomentar o desenvolvimento de um ecossistema de inovação no comércio local”, explica a consultora do Sebrae/PR, Alessandra de Almeida.

Segundo ela, a iniciativa vai promover a conexão entre os diferentes atores do ecossistema e fomentar o acesso das empresas a processos de negócios, gestão e tecnologia. “A ideia é promover um comércio inovador, sustentável e integrado, que faça de Londrina uma referência. É um movimento extremamente importante para o setor e para Londrina como um todo”, acrescenta a consultora.

A governança do comércio tem uma série de ações definidas para os próximos anos, como o levantamento dos principais obstáculos enfrentados pelo comércio e soluções para os mesmos, busca de crédito para inovação e a aproximação com outras iniciativas locais, como o Centro de Inovação do Comércio e o Tecnocentro, por exemplo.

Empresas inovadoras estão sempre à frente do desenvolvimento e trazem benefícios em médio e longo prazos para a região onde estão instaladas. Segundo o coordenador da governança do comércio, Fábio Kai, muitas empresas em Londrina já têm inovado, mas outras estão ficando atrás neste quesito. “Nós queremos todos andando juntos, fazendo o comércio londrinense evoluir, construindo um setor pujante e atraindo oportunidades para todos”, afirma o empresário.

Segundo ele, o comércio é um importante protagonista na economia brasileira e, por isso, precisa de iniciativas que o impulsionem. “Dados oficiais já mostraram que um quarto da população brasileira trabalha no comércio. Em Londrina, pela nossa experiência com o setor, percebemos que essa proporção é ainda maior. É possível que um terço da nossa população esteja empregada no comércio”, estima.

Por isso, o objetivo da governança é criar um esforço permanente para ter resultados em longo prazo, criar uma cultura de inovação entre varejistas, atacadistas, shoppings, supermercados e todos os atores envolvidos com a atividade comercial em Londrina. “Queremos trazer inovação e tecnologia de ponta, que criem as soluções de que o comércio precisa. Assim, seremos mais eficientes nos processos e teremos melhores resultados”, explica a vice-coordenadora da governança, Márcia Cescato de Castro Ruiz. Segundo ela, o objetivo é fazer do comércio londrinense uma referência nacional, no mesmo nível de grandes capitais.

Além de empresários, fazem parte da governança do comércio de Londrina o  Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Universidade Estadual de Londrina (UEL), Unifil, Unicesumar, Sindicato do Comércio Varejista de Londrina (Sincoval), Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil), Sebrae/PR, Senac, Associação dos Comerciantes de Material de Construção (Acomac), Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios (CMEG) e Grupo Gestor da Rua Sergipe.

Asimp/Sebrae/PR

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.