Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Índice CFA de Governança Municipal apontou que, no quesito Gestão, Londrina tem a melhor nota dentre as cidades do interior do Paraná

A administração do prefeito Marcelo Belinati recebeu menção honrosa pela sua classificação no Índice de Governança Municipal (IGM), desenvolvido pelo Conselho Federal de Administração (CFA). Segundo o Índice CFA de Governança Municipal (IGM-CFA), referente ao ano de 2018, Londrina está entre os 20 municípios mais bem posicionados do país, com nota 8, em um total de 155 cidades e capitais avaliadas, cuja melhor colocação teve nota 8,7. O resultado pode ser conferido no site oficial, http://igm.cfa.org.br.

O Índice CFA de Governança Municipal, elaborado em parceria com o Instituto Publix para o Desenvolvimento da Gestão Pública, compilou informações referentes à saúde, educação, gestão fiscal, habitação, recursos humanos, transparência, violência, dentre outras. O levantamento avalia, de forma conjunta, as três dimensões Gestão, Finanças e Desempenho. Considerando os municípios paranaenses, Londrina alcançou o melhor índice dentre as cidades do interior na dimensão Gestão, ficando atrás apenas da capital, Curitiba.

A entrega da homenagem ocorreu durante o Workshop de Gestão Pública Índice de Governança Municipal, realizado pelo Conselho Regional de Administração do Paraná (CRA-PR). Com uma população de 553.393 habitantes, Londrina conta com um PIB per capita de R$33.374,97, o que a inclui no Grupo 8 do IGM-CFA, junto com outras cidades que também possuem mais de 100 mil habitantes e PIB per capita acima de R$28.900.

Em Gestão, são avaliadas as práticas de administração adotadas pelos municípios, divididas nas subáreas Colaboradores, Planejamento, Transparência, e Qualidade do Investimento.

Na subárea Colaboradores, a atual administração municipal atingiu nota 10 na relação entre o total de servidores para cada 100 habitantes, e também no número de comissionados para cada 100 habitantes. Sobre a Qualidade dos Investimentos, que verifica o custo-benefício dos recursos aplicados em duas áreas, o Município obteve nota 0,61 para Educação, cuja meta era 0,67, e o índice 0,99 na Saúde, com meta 1,0.

Londrina destacou-se também na Transparência, atendendo aos critérios quanto à disponibilidade das informações no IGM, por não ter registro de irregularidades no Sistema Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias (CAUC), do Tesouro Nacional, e sua ótima posição no Índice Transparência do Ministério Público Federal (MPF).

Para a conselheira adjunta do CRA, Liz Dayane Paludetto Rodrigues, é importante que os gestores dos municípios conheçam os índices, principalmente para identificarem onde estão indo bem e onde precisam melhorar. “Analisar os resultados do IGM proporciona uma visão geral que pode colaborar no dimensionamento de recursos e projetos. Para a população em geral, é interessante avaliar e até mesmo comparar o desempenho com outros municípios. Sabemos que a gestão municipal é extremamente complexa, por isso a necessidade de uma gestão profissional e bem estruturada. A ferramenta colabora para ampliar a visão e fortalecer o planejamento estratégico, o que, no resultado, impacta diretamente na população”, enfatizou.

Sobre o workshop realizado em Londrina no último final de semana, Liz explicou que se trata de uma iniciativa do CRA para orientar quanto ao uso do IGM-CFA, bem como capacitar administradores para que possam disseminar os conceitos e a aplicabilidade da ferramenta. Novos encontros serão realizados no estado, nas cidades de Cascavel e Pato Branco.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios