Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Unidade contará com 40 profissionais de diversas especialidades, para atender pessoas com deficiência intelectual, auditiva ou física; ordem de serviço para construir o espaço, cujo terreno foi doado pela Prefeitura, foi assinada ontem (27)

O dia de hoje entra para a história da cidade de Londrina, com a assinatura da Ordem de Serviço para a construção do Centro de Atendimento à Pessoa com Deficiência, que promete ser referência estadual e nacional . A unidade será administrada pelo Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paranapanema (Cismepar) e será voltada ao atendimento interdisciplinar e reabilitação de pessoas com deficiência intelectual, auditiva ou física, de natureza temporária ou permanente; progressiva, regressiva ou estável; intermitente e contínua.

A solenidade de assinatura do documento aconteceu ontem (27), na sede da Prefeitura de Londrina, com a presença de prefeitos dos 21 municípios que integram o Cismepar, incluindo o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati; do secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, representando o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior; deputados federais e estaduais, vereadores e representantes de diversas instituições.

No Paraná, este é o quinto Centro Especializado de Reabilitação (CER) a ser implantado e pode chegar a beneficiar mais de 100 mil pessoas com deficiência que residem nos 21 municípios da Região de Saúde dohttps://www.jornaluniao.com.br/interativo/jornal-uniao/591/ Médio Paranapanema. Atuando de forma interprofissional e intersetorial, o local vai dispor de uma capacidade instalada para atendimento a cerca de 550 pessoas por mês.

A equipe do Centro será formada por cerca de 40 profissionais de diferentes áreas de atuação, incluindo fisioterapia, psicologia, nutrição, fonoaudiologia, medicina, enfermagem, serviço social, educação física, pedagogia, música e terapia ocupacional, entre outras.

O presidente do Cismepar e prefeito do município de Alvorada do Sul, Marcos Antonio Voltarelli, disse que quando se lembra que a cada cinco pessoas do Estado, uma possui algum tipo de deficiência, é possível mensurar a importância deste centro. “Esta conquista foi resultado de muito emprenho e trabalho, desde 2016, que agora está se tornando realidade e vai atender os 21 municípios da região do médio Paranapanema. É um dia de extrema felicidade e agradecimento a todos os que contribuíram com esta iniciativa”, expôs.

O prefeito Marcelo Belinati destacou que esta é a obra de maior dimensão social de Londrina, que vai proporcionar mais qualidade de vida e dignidade às pessoas com deficiência. “Hoje é um dia muito especial na minha vida e na história de nossa região, pois esta é uma obra de amor, de respeito e carinho às pessoas que mais precisam. Temos mais de 100 mil pessoas em Londrina e região que têm algum tipo de deficiência e o centro dará a oportunidade para elas possam fazer um trabalho de reabilitação, podendo voltar a desenvolver algumas funções de seus organismos e viver com mais qualidade de vida”, enfatizou.

Com a assinatura da ordem de serviço, o início da construção do local poderá acontecer em até 30 dias e a previsão é que os trabalhos sejam concluídos em até 12 meses. A obras serão executadas pela PGC Engenharia de Obras Ltda, contratada através de licitação conduzida pelo Cismepar.

O investimento total do Centro é de R$ 5.241.912, sendo que os recursos foram obtidos em 2016, por meio de emendas parlamentares. Para isso, foi necessária a junção de forças do prefeito Marcelo Belinati, enquanto deputado federal na época, com a liberação de uma emenda de R$ 1,45 milhão; do então deputado federal, Alex Canziani, com R$ 1,5 milhão; do deputado federal Luiz Carlos Hauly, com R$ 1,5 milhão; da então senadora Gleisi Hoffmann, com R$ 350 mil; do senador Álvaro Dias, com R$ 241.912; e do deputado federal, Rubens Bueno, com R$ 200 mil.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, disse que o Centro de Atendimento à Pessoa com Deficiência é muito representativo. “Um centro como este, para Londrina, é extremamente necessário. Estou feliz em participar deste momento e a Secretaria de Estado de Saúde e o governador Ratinho Junior já anunciam a possibilidade de partilhar outros custos do centro, principalmente do mobiliário e equipamentos no pós-obra”, apontou.

Com área total de 15.600,41 m2, o terreno onde será construído o Centro de Atendimento à Pessoa com Deficiência foi doado pela Prefeitura de Londrina, por meio da Lei Municipal nº 12.626/2017, sancionada pelo prefeito Marcelo Belinati. Ele fica no Jardim Sabará, próximo à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), na Avenida Arthur Thomas.

Ao todo, a construção terá 1690 m2 e contará com recepção e sala de espera; 12 consultórios gerais; 14 salas/box de terapia; uma cabine acústica; depósito de materiais de limpeza; vestiários masculino e feminino; e almoxarifado. Também estão incluídos refeitório; sala de coordenação; arquivo; administração; dois blocos de sanitários; sala de macas; e sala de reuniões.

A iniciativa contou com a assessoria técnica da Secretaria Municipal de Obras e Pavimentação (SMOP), que orientou o Cismepar sobre adequações finais necessárias à documentação e aos projetos que viabilizaram a licitação da obra. Além disso, a unidade interagirá com os conselhos locais e municipais de Saúde dos 21 municípios da região do Médio Paranapanema; bem como as 21 secretarias de Educação; do Trabalho, Emprego e Renda; de Assistência Social; e com todas as demais secretarias e conselhos que atuam no âmbito dos direitos da pessoa com deficiência.

Política pública

O Centro Especializado de Reabilitação é um equipamento público previsto no Plano Nacional dos Direitos da Pessoa Com Deficiência – Viver Sem Limites. A unidade é parte de uma nova linha de cuidados, que será implantada pelo Cismepar de forma integrada à atenção básica em saúde, dialogando com todos os estabelecimentos da Rede de Deficiência Intelectual e Transtornos Globais do Desenvolvimento e com a Rede de APAES, constituídas na região.

A linha de cuidados contará com diretrizes de atenção à pessoa com deficiência intelectual, motora e auditiva. Prevê, também, o manejo clínico no cuidado de pessoas com síndrome de down; transtornos do espectro do autismo; triagem e reabilitação auditiva; lesão medular; pessoas amputadas; indivíduos com paralisia cerebral, acidente vascular ou traumatismos cranianos, entre outros agravos.

Também estiveram presentes na solenidade, os na época deputados responsáveis pelas emendas parlamentares, Alex Canziani, hoje secretário de Governo de Londrina e o deputado federal Rubens Bueno. Participaram, ainda, do evento, a deputada federal Luísa Canziani, o deputado federal Enio Verri, os deputados estaduais Tercilio Turini e Cobra Repórter, a vereadora Lenis de Assis, representando a deputada federal Gleisi Hoffmann; o vice-prefeito de Londrina, João Mendonça; o presidente da Associação dos Consórcios e Associações Intermunicipais de Saúde do Paraná (Acispar), Aquiles Takeda Filho; o presidente do Conselho Regional de Secretários Municipais de Saúde, Eudes Cavallari Junior; o vereador e presidente da Câmara de Londrina, Jairo Tamura; secretariado municipal e secretários de saúde dos 21 municípios do consórcio.

Dayane Albuquerque e Ulisses Sawczuk/NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.