Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Novo nome da antiga Sercomtel Iluminação marca o início de uma nova era da companhia londrinense, que pretende ampliar seus serviços

Comemorar aniversário foi o de menos para a direção e funcionários da Londrina Iluminação, ex-Sercomtel Iluminação, ontem (26) marcaram a passagem dos sete anos de existência da empresa. Além de trocar de idade e de nome – por causa do registro da marca Sercomtel, que pertence à Sercomtel Telecomunicações –, a companhia também mostrou, aos convidados da cerimônia, seu novo foco de trabalho: iluminação fotovoltaica (solar) e “exportação” de serviços. A solenidade, no Parque de Operações da empresa, região oeste da cidade, contou com a presença dos funcionários, autoridades municipais e conselheiros de administração, dentre outros convidados.

Os serviços de manutenção da iluminação pública de Londrina e a modernização do seu parque de iluminação, que tem 65 mil pontos, vão continuar sendo oferecidos normalmente, e com qualidade, por parte da Londrina Iluminação, mas o presidente Claudio Tedeschi explicou, na ocasião, que os técnicos da empresa já estão debruçados em projetos de iluminação fotovoltaica para dar aos londrinenses o chamado “LED solar”, que consiste de uma luminária especial capaz de armazenar a energia do Sol durante o dia e acionar as luzes durante a noite. A tecnologia já existe e alguns testes neste sentido, aliás, já estão sendo desenvolvidos na cidade. “Isso será muito importante principalmente em vias e praças onde não se tem rede de energia elétrica”, explica Tedeschi.

Outra notícia dada pelo presidente da Londrina Iluminação é a expansão das atividades da empresa para outros municípios, onde ela pode oferecer serviços de manutenção da iluminação e até de modernização completa dos seus parques de iluminação pública: “Temos experiência de sete anos no ramo, acho perfeitamente natural e bem possível prestar este tipo de atividade, especialmente nas cidades conurbadas ou vizinhas”. Tedeschi acrescenta ainda que a Londrina Iluminação é uma empresa extremamente enxuta mas perfeitamente capacitada, e a “exportação” de serviços contribui significativamente para a sua sustentabilidade financeira.

Além dos projetos, a Londrina Iluminação também trabalha um plano de implantação definitiva de “telegestão”, que possibilitará a manutenção e dimerização remota (controle da intensidade) da iluminação. A companhia também já está se preparando para ingressar na tecnologia 5G, a “internet das coisas”, e executa um programa permanente de iluminação decorativa de monumentos e próprios públicos.

Em paralelo aos planos que estão sendo elaborados, a Londrina Iluminação, uma sociedade anônima de economia mista, vai conduzir normalmente o contrato de manutenção da iluminação pública de Londrina. Hoje existem apenas 108 chamados abertos para reparos em luminárias que estão apagadas, acesas durante o dia ou com os “braços” (haste que sustenta as luminárias) avariados. A quantidade é insignificante (menos de 1%) dentro do universo do parque de iluminação da cidade.

O vice-prefeito João Mendonça, que na cerimônia da empresa esteve representando o prefeito Marcelo Belinati, a mudança de nome de Sercomtel Iluminação para Londrina Iluminação marca a passagem para um novo tempo na empresa: “Junto com o novo nome vem o legado fantástico de sete anos de experiência”.

Mendonça lembrou, ainda em seu pronunciamento, o trabalho executado na implantação de LED em Londrina, um serviço altamente reconhecido pela opinião pública. Segundo ele, a iluminação não é só a claridade da luz em si, “ela ajuda também no íntimo de cada um, porque a boa iluminação exerce fatores psicológicos positivos na vida das pessoas”.

O presidente da Câmara Municipal, Jairo Tamura, também pontuou no evento e destacou, em discurso, que a Londrina Iluminação, pela sua própria natureza, transforma a vida das pessoas: “É uma empresa de alta capacidade técnica e que está mudando todo o cenário urbanístico da nossa cidade”.

O diretor Comercial da Associação Comercial e Industrial de Londrina, Angelo Pamplona, que esteve representando a presidente Márcia Manfrin, por sua vez salientou que a Londrina Iluminação é uma empresa genuinamente londrinense e, por isso mesmo, “gera empregos e ajuda a girar a nossa economia”. Ele destacou que Londrina deverá ser uma das primeiras cidades com mais de 500 mil habitantes a ter iluminação totalmente em LED.

Hoje Londrina conta com quase a metade da cidade (43%) com iluminação pela tecnologia “Light Emitting Diode” (LED), que é mais forte, mais clara e mais econômica. Desde quando o programa municipal “Londrina Cidade Iluminada” foi implantado com esta finalidade, no final de fevereiro de 2019, ainda na primeira gestão do prefeito Marcelo Belinati, já foram instaladas 28.105 modernas luminárias desta tecnologia. A conta inclui também as sedes dos distritos, patrimônios e vilas rurais, que já estão totalmente modernizadas.

Nesses quase três anos de programa já foram implantados LED em 59 avenidas, 1.403 ruas e 386 praças, além do entorno de unidades públicas essenciais e primordiais, como as duas Unidades de Pronto Atendimento (UPA), o Pronto de Atendimento Infantil (PAI), em volta de 52 escolas municipais e estaduais, de 13 escolas distritais, no entorno de 23 centros municipais de educação infantil e de 42 Unidades Básicas de Saúde.

Presenças

Na solenidade da manhã da Londrina Iluminação, além do presidente Claudio Tedeschi, do vice-prefeito João Mendonça, do presidente da Câmara Jairo Tamura e do diretor da ACIL Angelo Pamplona, a empresa contou também com as presenças da vereadora Professora Sônia Gimenez, dos secretários municipais Marcelo Canhada (Planejamento, Orçamento e Tecnologia), Bernardo Pellegrini (Cultura), Fábio Cavazotti (Gestão Pública) e Alex Canziani (Governo).

Também pontuaram os diretores da companhia Alexander Farias Fermino (Operações) e Beatriz de Oliveira Teixeira (Administrativo Financeira), os conselheiros de Administração Marco Antônio David (presidente), Florindo Dalberto, Juarez Paulo Tridapalli e Henrique Nakamá, além do diretor da Companhia de Tecnologia e Desenvolvimento (CTD), Nilso Paulo da Silva, de diretores da CMTU, profissionais do Núcleo de Comunicação da Prefeitura (N.Com), profissionais de Imprensa e de todos os funcionários da empresa.

NCPML

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.