Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O Ecossistema de Inovação serve de exemplo para qualquer cidade do país, afirma Marcelo Rangel, Superintendente Geral de Inovação do Paraná, que promete apoiar ainda mais o setor

Um evento entre o novo Superintendente Geral de Inovação do Paraná e as lideranças londrinenses dos setores empresarial e de conhecimento promete marcar uma desejada parceria com a esfera estadual. O representante do governo Estadual, Marcelo Rangel, afirmou nesta sexta (13), após participar de uma conversa técnica de mais de três horas, que teve a oportunidade de assistir a uma verdadeira aula de organização, “digna da cidade que hoje é o maior hub da Inovação e Tecnologia no Paraná, por conta do compartilhamento de informações e pelo profissionalismo dos empreendedores”. O encontro foi organizado pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Governo e da Codel, com o apoio do Sebrae e das governanças locais.

Londrina tem impressionado quem entende do tema desenvolvimento.  Poucas cidades contam com uma Ecossistema de Inovação avançado, formado com base em sistema de governanças multisetoriais. Desde 2017, empresários, universidades, entidades e sindicatos, trabalham unidos  com a administração municipal, que, por sua vez,  tem contratado parceiros como o Sebrae, para traçar metas e organizar os esforços.  São dez os setores que resolveram investir de forma sistemática em tecnologia e inovação: Saúde, Metal Mecânica, Química e Materiais, Agronegócio, Turismo, Áudiovisual, Tecnologia da Informação e da Comunicação, Comércio e Construção Civil.

Para Marcelo Rangel, Londrina tem tudo para se consolidar como referência de vários setores. Um exemplo é a área de produtos para governos e administrações públicas, principalmente agora que a cidade ganhou a recém-criada Companhia de Tecnologia e Desenvolvimento (CTD). “Londrina fez a lição de casa, aprovou uma Lei de SandBox, que permite testes experimentais de Inovação, uma das primeiras cidades do Brasil a fazer isso”, afirmou o Superintendente Geral de Inovação do Paraná.

Ele citou ainda o reconhecimento do governo federal e de operadoras, ao escolherem Londrina para abrigar um dos três polos de implantação da internet 5G no país, por conta da somatória de um avançado ambiente do agronegócio somado à presença de institutos de pesquisa e de uma APL de Tecnologia da Informação e de Comunicação. “Startups que criam softwares e sistemas para a área governamental podem receber agora financiamento e suporte logístico.  Em breve Londrina será reconhecida também como o berço de soluções tecnológicas para governos em todo país”, disse.

O secretário municipal de Governo, Alex Canziani, e o diretor de Tecnologia da Codel, Roberto Moreira, aproveitaram o encontro para encaminhar uma solicitação ao governo do Estado: a destinação de uma parcela do Fundo Estadual de Ciência e Tecnologia para o financiamento de startups em plena atividade. “Será uma forma de fortalecer projetos de interesse da economia paranaense, oferecendo recursos para os primeiros anos de empreendimentos”, explicou Canziani. Marcelo Rangel respondeu de pronto que o projeto é viável e será encaminhado ao governador e à Secretaria de Estado da Fazenda para possível implantação.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.