Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Dados do Caged apontam uma evolução de mais de 4,5 mil trabalhadores inseridos no mercado formal em 2021; variação relativa de Londrina ficou acima da do estado e do país em junho

Londrina retomou o ritmo de evolução no mercado formal de trabalho. Segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados na quinta-feira (29) pelo Ministério da Economia, o saldo positivo de empregos na cidade foi de 1.298 em junho. O desempenho, em variação relativa, foi melhor em Londrina do que no Paraná e no Brasil.

No total, foram 6.643 admissões e 5.345 desligamentos. Todos os setores da economia tiveram saldo positivos. O acumulado de 2021 já registra um saldo de 4.570 postos de trabalho criados na cidade, com desempenho positivo em praticamente todos os setores. Esse desempenho garantiu à cidade o recorde de geração de empregos em um único semestre. A cidade teve, em junho, o melhor desempenho entre as cinco maiores cidade da região metropolitana de Londrina.

O destaque de junho ficou por conta do comércio, que empregou 2.140 pessoas e teve um saldo de 560 trabalhadores, e também do setor de serviços, que apresentou um saldo positivo de 484 empregos, recuperando-se do impacto provocado pelo encerramento das operações de atendimento de um contrato de prestação de serviços de uma empresa de call center em maio.

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, celebrou o momento positivo da cidade. “Vemos Londrina crescendo em todos os setores. Sabemos que essa evolução é resultado de muito trabalho do poder público e da sociedade civil como um todo, que soube se adaptar e enfrentar os desafios provocados pela pandemia, e que agora colhe os frutos desse planejamento. A cidade está vivendo uma fase de prosperidade e estamos muito otimistas com as perspectivas”, comemorou.

O secretário municipal do Trabalho, Emprego e Renda, Gustavo Santos, enalteceu a evolução do mercado formal de trabalho e também lembrou dos Microempreendedores Individuais (MEIs). “Ficamos felizes em ver que as pessoas estão se reinserindo no mercado de trabalho. Atuamos em várias frentes de qualificação, com parceiros importantes, para capacitar essa mão de obra e ajudar na recolocação. Nossa rede de amparo aos empreendedores, por necessidade e por opção, também cresceu. A Sala do Empreendedor auxilia desde a formalização até a concessão de crédito. Estamos construindo uma cadeia produtiva robusta e contribuindo diretamente para a retomada da economia”, garantiu Santos.

Para o presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Bruno Ubiratan, o resultado positivo do Caged de Londrina é fruto do trabalho desempenhado desde o início do mandato do prefeito Marcelo Belinati, voltado a fortalecer a industrialização e trazendo empresas para a cidade, como a Tata – TCS, BRF, Magazine Luiza e o Centro Administrativo da Atlas, entre outros. “Esse é um trabalho que leva tempo para se consolidar e ainda teremos mais resultados. A Atlas só anunciou 160 empregos, mas, para este ano, vai abrir mais 250 vagas. E a previsão é oferecer de 1.000 a 1.300 empregos. Estamos colhendo um saldo positivo já nesse ano, frutos do que o prefeito tem pregado, que é a união de todos os setores. A cidade vive um momento de planejamento, em que a sociedade civil, entidades e órgãos públicos estão juntos, e isso ajuda o desenvolvimento econômico. E o trabalho conjunto da Codel com a SMTER fortalece, e muito, a geração de empregos em nossa cidade”, finalizou.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.