Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

André Luís Barbosa reside há quase dois anos no serviço de República com Supervisão Leve, implantado em 2019 pela Secretaria Municipal de Assistência

A recente aprovação no vestibular da Universidade Estadual de Londrina (UEL), para o curso de Relações Públicas, foi uma grande conquista para o ex-morador de rua André Luis Barbosa, de 46 anos. Desde 2019, Barbosa é atendido pelo serviço de acolhimento institucional do Município. Ele reside em uma das repúblicas implantadas pela Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS) para acompanhar pessoas em fase de superação da situação de rua. A unidade é administrada pela Associação MMA – Ministério de Missões e Adoração Londrina, conveniada com o Município.

Antes disso, Barbosa havia passado 24 anos vivendo nas ruas de Londrina, tendo saído de casa e perdido o contato com sua família aos 18 anos de idade. Ele contou que, durante esse período, passou por muito sofrimento, tendo enfrentado a fome, o frio, a discriminação e a privação de sua autonomia, entre outras dificuldades. A partir de 2010, começou a frequentar os serviços da rede socioassistencial do Município, sendo atendido pelo Centro de Atenção Psicossocial para Álcool e Drogas – Caps AD e pelo Centro Pop, entre outros locais.

Com a evolução pessoal crescente, veio a oportunidade de conseguir maior autonomia e independência, através do ingresso no Acolhimento em República de Supervisão Leve. Após terminar o ensino fundamental e médio, Barbosa ingressou em um cursinho e conseguiu a aprovação no vestibular. Além disso, está trabalhando em uma rede de supermercados e também como Educador Par, na Escola Londrinense de Circo. Também implementada pela administração municipal, essa ação permite que pessoas que superaram a situação de rua atuem como facilitadores, intermediando o contato entre educadores sociais e o público atendido.

“O processo de república foi uma das bases que me fortaleceu. Todas as pessoas podem se reerguer, elas só precisam de uma oportunidade. Eu sou muito grato a Deus e às pessoas que acreditaram em mim e me estenderam a mão, como as equipes da Secretaria de Assistência Social, do Centro Pop e do Caps-AD”, disse Barbosa.

A secretária municipal de Assistência Social, Jacqueline Micali, explicou que o serviço de Acolhimento em República para pessoas em situação de rua foi implementado na gestão do prefeito Marcelo Belinati, sendo realizado por meio de convênios com as entidades Morada de Deus e Associação MMA – Ministério de Missões e Adoração Londrina. “O André é um exemplo de que é possível superar a situação de rua, com muito esforço e políticas públicas que atendam às necessidades dessa população. Além de ser atendido pelo serviço de república, a atuação dele como Educador Par foi muito importante para a sua inserção profissional”, pontuou.

A assistente social da Associação MMA – Ministério de Missões e Adoração Londrina, Tatiane Sperandio Lemes, destacou a grande evolução conquistada por Barbosa. Segundo Lemes, esses resultados são fruto tanto do esforço pessoal de Barbosa quanto do trabalho conjunto da rede socioassistencial de Londrina. “Para nós, a aprovação de André representa o triunfo daqueles que tentam e não desistem, assim como o sucesso e a união dos serviços públicos que atuaram juntos nas ações de fortalecimento. Se, para ele, alcançar esse feito era um sonho, para nós também passou a ser, pois nossa maior alegria é ver as pessoas que atendemos dando passos em direção aos seus objetivos”, afirmou.

Sobre o futuro, Barbosa diz que se esforçará ao máximo para concluir sua graduação, e frisa que o curso de Relações Públicas está bastante ligado às suas experiências anteriores. “Eu faço parte do Movimento Nacional da População de Rua e, como ativista, já atuo na área de relações públicas. Sempre procurei apresentar as reivindicações da população mais vulnerável e mostrar uma imagem positiva dessas pessoas. Também busco valorizar os grupos que trabalham em prol dessa população, como os trabalhadores da assistência social, da saúde pública e dos conselhos”, salientou.

Serviço de repúblicas

Desde 2019, a Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS) mantém o serviço de Acolhimento em República para pessoas que estão superando a situação de rua. A iniciativa, que atualmente conta com sete unidades, tem o objetivo de resgatar a dignidade e cidadania dos beneficiados, assim como prepará-los para conduzir suas vidas de forma independente.

Ao todo, as repúblicas podem atender até 77 pessoas, com idades entre 18 e 59 anos. Os moradores podem permanecer nas unidades por até dois anos e são auxiliados por toda a Rede Socioassistencial do Município, incluindo o Centro POP; as secretarias municipais de Educação e do Trabalho, Emprego e Renda; e a Fundação de Esportes de Londrina (FEL), entre outros órgãos.

As pessoas que residem nas repúblicas devem realizar a manutenção dos espaços, cuidando da limpeza, jardinagem, preparação de alimentos, lavagem de roupas e outras tarefas. Profissionais da SMAS realizam a supervisão dos moradores, que pode ser leve ou moderada. As unidades de Supervisão Leve são voltadas para os indivíduos que já apresentam comportamentos responsáveis e podem se adaptar mais facilmente à vida independente. Por isso, eles são visitados periodicamente por psicólogos e assistentes sociais, que verificam a evolução desses moradores. Já as três repúblicas com o serviço de Supervisão Moderada atendem até 45 pessoas. O público-alvo são os indivíduos com mais dificuldades para a organização da vida diária. Essas unidades contam com a presença, 24 horas por dia, de educadores que monitoram e oferecem auxílio aos moradores.

Doações

A SMAS informa que os interessados em auxiliar André Luis Barbosa podem fazê-lo por meio da doação de um computador ou outros equipamentos de informática, que contribuirão para seus estudos. Quem desejar mais informações sobre isso pode contatar a pasta, pelo telefone (43) 3378-0024.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios