Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Há 25 anos como motorista da PML, Arlindo Martins é um dos braços de apoio às pessoas em situação de rua nas noites mais geladas do ano

Desde o início da pandemia de Covid-19, em 2020, o servidor Arlindo Martins, 62 anos, poderia ter optado por se afastar de suas funções por conta da idade, conforme os protocolos de saúde e decretos municipais autorizaram. No entanto, por livre escolha, amor pelo que faz e preocupação com os mais necessitados, preferiu continuar trabalhando para ajudar a proteger e preservar vidas. Assim, ele seguiu atuando como motorista dos serviços de Proteção Social Especial da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS), onde está há oito anos.

Antes disso, havia trabalhado por quase 20 anos na Secretaria Municipal de Saúde (SMS), onde foi condutor de ambulância para serviços como o Transporte Emergencial Centralizado (TEC), transportou materiais entre laboratórios e unidades de saúde, e também foi responsável pelo controle e manutenção da frota, entre outras atividades.

Já na Assistência Social, desde que chegou, seu Arlindo exerce serviços que atendem pessoas em situação de alta vulnerabilidade social, que tiveram seus direitos violados, sendo os principais públicos as crianças, adolescentes e pessoas em situação de rua. Em sua função regular, ele atua dirigindo veículos para transportes referentes ao Serviço de Acolhimento Familiar – incluindo o Família Acolhedora – além das demandas dos Creas (Centros de Referência Especializados de Assistência Social) e Seas (Serviço Especializado de Abordagem Social).

Durante a pandemia, devido a sua ampla experiência e conhecimento da função, Martins tornou-se um dos motoristas de referência dos acolhimentos emergenciais voltados para pessoas em situação de rua. Nessa função, vem atendendo a todas as necessidades logísticas das repúblicas masculina e feminina, assim como os acolhimentos institucionais regulares para adultos.

Acumulando 25 anos de serviços prestados como motorista à Prefeitura de Londrina, neste inverno ele decidiu adiar suas férias e se colocou à disposição para ser uma das várias mãos acolhedoras durante as ações da Operação Noite Fria, onde dirige um dos micro-ônibus utilizados nos serviços de abordagem e sensibilização das pessoas em situação de rua, nos dias de frio mais intenso. Os cidadãos desprotegidos, de várias regiões de Londrina, recebem apoio e são transportados até os locais de acolhimento organizados pela SMAS, que vem reforçando as ações e ampliando as vagas exclusivas para esse atendimento.

Seu Arlindo conta que sua jornada diária na Noite Fria, onde atua há cerca de cinco anos, começa no início da noite, por volta das 19h, se estendendo até o começo da madrugada, à meia-noite. “Chegamos até muitas pessoas passando frio, desnorteadas e sem lugar para dormir, muitas vezes sem um agasalho ou cobertor adequado. É triste ver até mesmo idosos nessa situação, inclusive muita gente de outras cidades, ainda mais na pandemia. Por saber da necessidade e realidade deles, me sensibilizo e fico feliz em poder colaborar, com meu trabalho, para ajudar a oferecer suporte e tratamento digno”, relatou.

Em suas palavras, o esforço em manter um segundo turno de trabalho nesta operação é ‘prazeroso e gratificante’. “Gosto bastante e faço questão de atuar nesse projeto, porque me coloco no lugar dessas pessoas e imagino como é difícil e doloroso estar nas ruas, principalmente com frio intenso. É muito importante manter este olhar”, enfatizou.

Com muita disposição, o experiente motorista trabalhou, inclusive, durante esta semana, uma das mais frias dos últimos anos, quando os termômetros chegaram a marcar temperaturas de 0ºC, aproximadamente, indicando sensação térmica abaixo de zero grau. Segundo o Simepar, Londrina registrou, ontem (29), a manhã mais gelada dos últimos 20 anos, com temperatura mínima de 0,5º C e sensação térmica de -1,1ºC.

Os micro-ônibus da Operação Noite Fria percorrem todas as regiões de Londrina, incluindo 80 locais estratégicos já mapeados previamente, onde as equipes de abordagem social prestam apoio. Além disso, são atendidas as chamadas feitas diretamente pela população, que colabora telefonando para a central e indicando outros pontos onde há pessoas precisando do serviço.

 “Os servidores da SMAS, principalmente os mais novos, quando vejo pessoas que já encontrei nas ruas em outras ocasiões, dizem: ‘poxa, seu Arlindo, você conhece todo mundo na cidade, e o pessoal te cumprimenta e trata tão bem’. Isso acontece porque já trabalhamos com esse público há muitos anos e buscamos conversar com todo o respeito e atenção que eles merecem. É muito legal também ser bem recebido, e é algo que ajuda nas abordagens, pois as pessoas ficam mais confortáveis e confiam que serão bem acolhidas. Isso abastece nossa motivação”, destacou Martins.

Exemplo

O motorista é descrito, pelos próprios companheiros da SMAS, como “um servidor exemplar, muito comprometido com o que faz, prestativo e sensível às especificidades do público vulnerável, agindo sempre de forma respeitosa, sem distinção ou preconceito com qualquer pessoa”.

A diretora de Proteção Social da SMAS, Josiani dos Santos Nogueira, que conhece o servidor desde 2017, reiterou as qualidades apontadas e relatou que Arlindo tem o diferencial de ser muito proativo e envolvido com o público atendido. “Desde que ele entrou no serviço de acolhimento familiar, se encontrou ainda mais como servidor, trabalhando no atendimento a crianças e adolescentes em desproteção familiar, pessoas que estão nas ruas e outras situações de vulnerabilidade. Ele adora lidar com o público, conversar e ajudar. Até precisamos ficar no pé dele para que ele cumpra seus dias e períodos de descanso, porque se depender de sua vontade ele não para e sempre está disposto a ajudar os outros. O Arlindo abre mão de sua parte para cuidar dos outros, adora o que faz e isso fica nítido a todos que o cercam”, disse.

A Prefeitura de Londrina presta o reconhecimento ao seu Arlindo Martins pela dedicação e amor com que trabalha em prol do serviço público e da cidade, dentro da política de Assistência Social, que pode fazer a diferença na vida de tantas pessoas.

Operação Noite Fria

Essa estratégia reforça a abordagem social e encaminhamento de pessoas desabrigadas para os acolhimentos institucionais, garantindo proteção e alimentação no período de temperaturas mais baixas. Os acolhidos ainda têm acesso a banho, troca de roupa e espaço para dormir, recebendo suporte das equipes da SMAS para poder retornar às suas famílias.

Além disso, equipes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) estão fortalecendo as operações, junto aos servidores da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS), realizando testes e vacinação contra Covid-19.

Em 2021, a população em situação de rua e desproteção está sendo acolhida em locais como o Centro de Assistência e Recuperação de Vidas Morada de Deus e a Casa de Passagem Ministério de Missões e Adoração – Associação MMA. Outro ponto preparado para receber essas pessoas é o Centro de Convivência da Pessoa Idosa da Região Oeste (CCI Oeste), em parceria com a Secretaria do Idoso.

Qualquer cidadão que quiser colaborar, informando sobre pessoas que precisam do serviço, pode entrar em contato pelos telefones (43) 99991-4568 e (43) 3378-0414, que aceita ligações a cobrar. O horário de atendimento do serviço é de segunda a sexta-feira, das 8h às 24h. Aos sábados, funciona das 9h às 20h e, nos domingos, atende das 9h às 15h.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.