Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Prefeitura vai autorizar R$ 500 mil para o Banco de Ração e contratar veterinário para a SEMA; projeto de lei visa incluir zona rural no alcance de fiscalizações de maus tratos e apreensões de animais

Em reunião realizada na quinta-feira (14), na sede da Prefeitura, foram debatidas e anunciadas iniciativas para aprimorar as políticas de amparo e bem-estar animal em Londrina. O conjunto de novas ações foi discutido pelos secretários municipais Marcelo Canhada (Planejamento), Ronaldo Siena (Ambiente), Pedro Ramos (Defesa Social) e Julliana Bellusci (Recursos Humanos), juntamente com o vereador Deivid Wisley, um dos novos nomes eleitos para a Câmara Municipal.

O secretário municipal de Planejamento, Marcelo Canhada, anunciou que a Prefeitura está autorizando a liberação de recurso de R$ 500 mil para a aquisição de ração. “O investimento será aplicado para suprir o Banco de Ração da Secretaria Municipal do Ambiente (SEMA). Com isso, muitas famílias, entidades e protetores independentes de animais cadastrados no programa serão beneficiados. Um decreto específico, a ser publicado em breve, estabelecerá as formas e regras de aplicação deste recurso”, informou.

Outra novidade divulgada durante o encontro foi a contratação de um profissional veterinário que irá atuar na Diretoria de Bem-Estar Animal (DBEA) da SEMA. “A intenção das iniciativas é qualificar e ampliar os atendimentos ofertados pela secretaria para essa finalidade. São novas ações muito importantes e que fazem a Prefeitura avançar, com medidas concretas, na melhoria dos serviços em prol dos animais e da nossa população”, destacou o secretário do Ambiente, Ronaldo Siena.

Também foi foco do encontro alterações legislativas propostas pelo vereador recém-eleito Deivid Wisley, que atua na causa da proteção animal na cidade há 15 anos. Ele adiantou que apresentará na Câmara Municipal projeto de lei que amplia a área passível de fiscalizações, por parte da Prefeitura, para apreensão e combate aos maus tratos de animais com médio e grande porte. “Esta medida permitiria que órgãos como a SEMA e a Guarda Municipal tenham legitimidade para intervir também nas áreas rurais. Muitas das irregularidades e crimes de maus tratos ocorrem nessas regiões, nos limites entre zona urbana e rural. É também uma reivindicação antiga da comunidade e precisamos atuar com firmeza para atendê-la da melhor forma”, explicou.

Para o secretário de Defesa Social, Pedro Ramos, a proposta legislativa seria um dispositivo importante para fortalecer os trabalhos de fiscalização envolvendo a SEMA e a Guarda Municipal. “A GM presta suporte direto nos casos de crimes de maus tratos animais atendidos pela SEMA. As mudanças na lei dariam respaldo legal para o Município ampliar seu alcance nas demandas de apreensão de animais soltos em locais indevidos e atendimento a denúncias de crimes”, afirmou.

Outra possibilidade abordada na reunião foi o aprimoramento da distribuição do Banco de Ração da SEMA, para que os repasses e distribuições possam ocorrer de forma mais rápida e eficaz aos beneficiários cadastrados.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios