Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Renovação do contrato de gerenciamento das vagas de Zona Azul, por mais dez anos, prevê a modernização do sistema de estacionamento rotativo

Ontem (27), a Prefeitura de Londrina e a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) assinaram a prorrogação do contrato entre o Município e a Escola Profissional e Social do Menor de Londrina (Epesmel). O ato garante a manutenção do serviço de exploração do estacionamento regulamentado rotativo na cidade, e a solenidade aconteceu na sede da Epesmel.

A entidade seguirá no gerenciamento das vagas de Zona Azul no município pelos próximos dez anos. A novidade, com relação ao atual termo de parceria, é a implantação de um software de gestão integrado, responsável pelo monitoramento das ações em tempo real e a modernização do sistema de pagamentos.

Para o prefeito Marcelo Belinati, a parceria com a Epesmel é fundamental para a cidade. “Eu diria que também é inovadora, pois eu desconheço outra cidade no Brasil que faz esse tipo de trabalho, normalmente realizado por empresas particulares. Aqui, todo o lucro é revertido em trabalhos sociais importantíssimos, de qualificação, de encaminhamento de vida para muitos jovens. Essa parceria proporciona a geração de 210 empregos diretos e leva benefícios para toda a sociedade. A renovação deste contrato representa um momento de muito orgulho, pois traz ganho para toda a cidade”, afirmou.

O presidente da CMTU, Marcelo Cortez, apontou que, com a modernização, é possível trazer, em tempo real, os locais mais utilizados pela população. “São ferramentas e informações importantes para que possamos agir de forma mais célere, além de possibilitar mais transparência na prestação do serviço. A renovação desta parceria com a Epesmel é fundamental para a manutenção dos empregos, do atendimento a crianças e adolescentes que vivem em situação vulnerável e para a melhoria do sistema”, frisou.

O presidente do Instituto Leonardo Murialdo e diretor da Epesmel, padre Esvildo Valentino Pelucchi, enfatizou que os recursos obtidos pela gestão da Zona Azul são fundamentais para a manutenção da entidade. “O objetivo da Epesmel, em Londrina, é continuar o trabalho em favor dos jovens, crianças e adolescentes mais vulneráveis e necessitados. Com a colaboração de toda a sociedade e do poder público, conseguimos alcançar metas muito gratificantes, podendo atender 1.363 jovens, crianças e adolescentes, em tempo integral”, detalhou.

Mudanças

Na solenidade, a nova proposta foi apresentada pelo coordenador administrativo da Zona Azul, Wellington Marcati. Segundo ele, tanto o Município quanto a Epesmel terão controle simultâneo do número de vagas ocupadas. O acompanhamento começará desde os 15 minutos iniciais de tolerância e permitirá, por exemplo, fazer o levantamento de indicadores que forneçam suporte analítico para a tomada de decisões.

A proposta, que deve ser implementada junto aos demais compromissos, entre 60 e 90 dias da assinatura do contrato, é que a solução tecnológica seja utilizada por todos os colaboradores nas ruas. No modelo atual, somente supervisores fazem uso da ferramenta.

Outras novidades são a possibilidade de pagar a Zona Azul por meio de cartão de débito ou crédito, direto com os atendentes, e a inclusão de pontos de venda, como farmácias, padarias e lanchonetes, para a aquisição de tempo de estacionamento, regularizações e recargas.

A renovação da parceria prevê ainda aumento na divulgação do APP Estacione Legal, aplicativo disponível para Android e iOS, com cerca de 20 mil usuários ativos em Londrina, e integração das ferramentas de gestão junto aos parquímetros.

Sistema atual

Hoje, o motorista que utiliza o estacionamento regulamentado pode fazer a aquisição dos créditos nos totens eletrônicos espalhados pelas vias, com a inserção de moedas nas máquinas, bem como diretamente com os monitores e supervisores que atuam nas ruas.

Existe também a possibilidade de compra dos tickets por meio de um cartão de recarga que é comercializado pelos atendentes. O dispositivo é vendido a R$ 12, sendo que, deste montante, R$ 10 são convertidos em bônus de estacionamento.

Outra ferramenta, considerada a mais prática e cômoda para a utilização das vagas, é o aplicativo de celular Estacione Legal, lançado em maio de 2019. Com ele, o condutor pode obter tickets através de boleto bancário e de pagamento on-line, podendo recuperar o período pago e não utilizado.

Zona Azul

Além de democratizar a ocupação do espaço público, a Zona Azul colabora para a fluidez do trânsito e a mobilidade urbana à medida que garante e dinamiza o acesso às áreas mais movimentadas da cidade. Londrina conta hoje com aproximadamente 2.400 vagas rotativas, distribuídas principalmente no quadrilátero central, na região do Centro Cívico e na avenida Bandeirantes.

O serviço tem por volta de 90 trabalhadores e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, e das 9h às 13h aos sábados. Com tarifa de R$ 1,70 para cada hora estacionada, valor que não terá reajuste, o sistema atende diariamente a cerca de 10 mil motoristas.

Viabilizado pela Lei n° 10.914/2010, o estacionamento regulamentado no município é administrado pela Epesmel, entidade beneficente que atua junto a crianças e adolescentes com idades entre seis e 17 anos. A instituição foi fundada em 1976 e realiza cerca de 1.363 atendimentos mensais nas áreas de profissionalização, convivência e fortalecimento de vínculos.

Também estiveram presentes na solenidade o vice-prefeito de Londrina, João Mendonça; os diretores Administrativo e de Trânsito da CMTU, Marcio Tokoshima e Sergio Dalbem; a secretária municipal de Assistência Social, Jacqueline Marçal Micali; e o padre Carlos Wesler, vice provincial da ONG Mur.

Danylo Alvares/Dayane Albuquerque/NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios