Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Participantes receberão orientações individuais, sobre alimentação e nutrição, promovidas pelos alunos da UniFil, de acordo com características biológicas e sociais do envelhecimento

A Secretaria Municipal do Idoso (SMI) firmou uma parceria com a Universidade Filadélfia de Londrina (UniFil) para promover um acompanhamento nutricional aos idosos de Londrina. O objetivo da iniciativa é levar saúde e qualidade de vida à população idosa assistida, por meio da alimentação e nutrição, considerando os aspectos biopsicossociais associados ao envelhecimento.

Os participantes receberão acompanhamento nutricional, promovido pelos alunos do quarto ano do curso de Nutrição da UniFil, via internet, em virtude da pandemia do novo coronavírus, para garantir a segurança dos idosos, grupo de risco da COVID-19. Os contatos serão realizadas por telefone, e-mail e WhatsApp, dentre outras formas, durante todo o ano, e os atendimentos terão a supervisão de professores da área de Nutrição Social da Universidade.

Além do acompanhamento nutricional, os idosos também vão receber materiais informativos, em formato de vídeos de curta duração, para que possam ser disseminados em grupos/redes sociais utilizados por eles. Também serão realizadas intervenções nutricionais lúdicas, com o intuito de informar e proporcionar autonomia e consciência do ato de se alimentar.

Segundo o professor de Nutrição da UniFil, Guilherme Dantas, as orientações serão voltadas à promoção da saúde, estímulo a alimentação saudável, combate às fakes news sobre alimentação, considerando as características biológicas e sociais do envelhecimento. “A assistência nutricional, de forma empática e coerente com a realidade de cada um, acolhe e fornece caminhos para que a pessoa idosa desenvolva ou resgate sua autonomia nas escolhas alimentares, além de minimizar as alterações ocorridas com o processo de envelhecimento. Isso é muito importante, pois o envelhecimento promove diversas alterações biológicas, sociais e psicológicas que acabam por colocar o indivíduo idoso em risco nutricional”, enfatizou.

Dentre essas alterações, o professor destacou a diminuição da sensibilidade do paladar e olfato, alterações na mastigação, deglutição e da motilidade do trato gastrointestinal e a diminuição da massa muscular (associada à perda da independência); muitos apresentam doenças crônicas não transmissíveis (como hipertensão arterial, diabetes, doenças osteoarticulares) ou fatores de risco (como excesso de peso ou obesidade). “Soma-se, ainda, que muitos vivem sozinhos e desmotivados para produzir seu próprio alimento e têm acesso a notícias falsas, sobre alimentos com promessa de cura, levando-os a uma alimentação desbalanceada, rica em alimentos ultraprocessados”, apontou.

Como participar

Para que a ação aconteça, a SMI está fazendo a busca ativa dos idosos que já participam das ações dos Centros Municipais do Idoso (CCIs) de Londrina, mas qualquer pessoa com 60 anos ou mais pode participar, entrando em contato com um dos três CCIs da cidade, nos telefones 3375-0307 (leste), 3375-0334 (oeste) e 3373-0090 (norte), de segunda a sexta-feira, das 8 às 14 horas. Atualmente, 15 idosos já estão inscritos na iniciativa, os quais começarão ser atendidos nos próximos dias.

Segundo a secretária municipal do Idoso, Andrea Ramondini Danelon, o novo projeto dá continuidade às ações realizadas ao público idoso, de forma remota, durante o período de isolamento social. “Além de possibilitar que estes idosos recebam diversas orientações sobre alimentação, inclusive para prevenção de doenças e fortalecimento da imunidade, a iniciativa também possibilita que eles sanem dúvidas sobre alimentação e tenham um momento de interação, muito importante neste momento de pandemia, em que os idosos muitas vezes se sentem sozinhos”, afirmou.

A gerente de Articulação Comunitária da pasta, Rosely Sonoda Gomes, complementou que a Secretaria Municipal do Idoso está promovendo diversas atividades virtuais voltadas aos idosos de Londrina, principalmente aos que já participavam dos CCIs da cidade. “Já estamos com mais de 20 grupos de WhatsApp, como o de Atividade Física, de Socialização e o Informativo, os quais levam informações importantes e promovem interação entre os idosos”, contou.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios