Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Parceria com o Núcleo Interdisciplinar de Gestão Pública (NIGEP) da UEL acompanha as grandes obras e projetos realizados pela Prefeitura

A fim de dar transparência, agilidade e eficiência aos processos licitatórios, trâmites burocráticos e obras desenvolvidos pelo Município, o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, apresentou ontem (8), o sistema “Gestão à Vista”. Com este sistema moderno, os gestores têm acesso às informações primordiais sobre todos os processos que estão sendo e que serão realizados na cidade, nos próximos anos.

Esta é a primeira vez que o Município de Londrina adere a metodologia de Gestão de Projetos de forma integrada com todas as secretarias e repartições municipais. Segundo o secretário de Governo, Juarez Paulo Tridapalli, ele é um sistema muito utilizado pelas empresas privadas, para a otimização das estratégias e gerenciamento de projetos. Em Londrina, ele foi possível graças a uma parceria estabelecida entre a Prefeitura de Londrina e a Universidade Estadual de Londrina, por meio do Núcleo Interdisciplinar de Gestão Pública (NIGEP), em setembro de 2017.

Com isso, uma equipe formada por 20 profissionais, entre oito professores universitários e 12 alunos de pós-graduações de diversas áreas, como Economia, Administração, Ciências Contábeis, Direito, Gestão Pública e Serviço Social, conseguiu mapear as ações realizadas pelas secretarias e órgãos públicos municipais. Neste mapeamento estão os prazos iniciais e finais; as atividade-padrão que os gestores devem fazer – como apresentação de projetos e de saldo financeiro, aplicação de recursos, licitação, execução, chamamento público, recebimento ou envio de recursos-, número do projeto no Sistema Eletrônico de Informação da Prefeitura (SEI), técnicos e secretarias responsáveis; investimentos financeiros necessários; origem do dinheiro – se advém de fundo específico, emendas de parlamentares, convênios ou são recursos próprios -, fase em que se encontram as iniciativas e outras informações relevantes.

Para Marcelo, as principais vantagens do uso da metodologia de Gestão de Projetos, pelo Município, estão na agilidade que será possível durante os trâmites burocráticos e na economia de recursos públicos, além do acompanhamento semanal das atividades públicas. “É um trabalho que iniciou no ano passado, com o reequilíbrio das finanças públicas, planejamento de ações, construção de projetos, captação de recursos e a fase de acompanhamento dos trâmites burocráticos, para transformar os projetos em melhorias efetivas para a população. O que posso garantir é que a cidade de Londrina ficará impressionada com o volume de coisas que vai acontecer nos próximos anos, como obras de infraestrutura, viadutos, duplicações, asfalto, reconstrução da saúde pública, o desenvolvimento da cidade industrial, enfim, todos os projetos que estavam parados em administrações anteriores e que nós demos andamento, e temos o acompanhamento passo a passo em parceria com a UEL, para que não percamos prazos e façamos efetivamente que eles se transformem em realidade”, disse o prefeito.

Para que isso fosse possível, em um primeiro momento, os acadêmicos da UEL realizaram um escopo da situação, com a elaboração de um inventário que pudesse ajudar a Secretaria Municipal de Gestão Pública em relação aos processos de licitação. Nele, foram levantados 18 indicadores, que servirão para nortear o acompanhamento semanal que será feito nos quadros do sistema. Além disso, está sendo implantado um sistema on-line cedido gratuitamente pela Universidade Estadual de Londrina.

De acordo com o secretário de Governo, o objetivo da Prefeitura de Londrina com esse programa é dar uma dinâmica melhor aos projetos municipais que estão em andamento na cidade, de tal forma que as coisas aconteçam, se modernizem e haja uma melhoria na gestão pública, tornando mais efetivas as políticas públicas municipais em todas as áreas. “É importante termos os recursos financeiros para as ações, mas se não tiver uma gestão adequada pode-se perder o prazo de convênios ou o timing dos projetos. Por isso, a importância dessa gestão moderna de forma que as coisas possam acontecer da maneira que se espera”, explicou Tridapalli.

Os quadros da “Gestão à Vista” estão expostos no gabinete do prefeito Marcelo, facilitando o acesso daqueles que ali frequentarem e quiserem saber mais informações sobre os projetos do Município. Há cerca de 140 obras e processos licitatórios listados com o detalhando de informações, que somados chegam próximos a R$ 980 milhões de investimentos.

Eles foram montados com as informações repassadas pelos servidores, onde a equipe do NIGEP organizou os dados e alimentou o sistema. Para a acadêmica de pós-graduação em Gestão Pública pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e participante das atividades desde setembro de 2017, Letícia Secorum, esse projeto traz o enriquecimento para ambas as partes, pois une o conhecimento teórico-acadêmico com a realidade prática da administração pública. “É um vínculo muito interessante tanto para o aluno, pois é uma ferramenta importante de capacitação e experiência, como também nós temos muitos recursos, ferramentas e tecnologias que podemos trazer para a administração pública. Há um pensamento de modernização da gestão pública, de trabalho em conjunto e interdisciplinar”, destacou.

Para o mestrando no Programa de Gestão em Sustentabilidade, do curso de Administração da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Hilton Leite de Brito, além das vantagens mencionadas, a parceria através do Termo de Cooperação Técnica entre a UEL e a Prefeitura, trouxe ao Município o mapeamento das ações vinculado com as sugestões de melhorias às atividades de gestão. “A execução de qualquer política pública tem que passar previamente pelo sistema de compra pública. Não tem como falar em uma gestão ou compra eficiente com prazos de 180 dias, o que foi o levantado nos processos licitatórios. Então, chamam-se os servidores e os secretários para um diálogo, para vermos o que pode ser melhorado, as metas são estabelecidas e desdobradas em fases, e há um trabalho de conscientização com os profissionais, para que a diminuição dos prazos acarrete melhorias à população. Benefícios há para todos, para os alunos, servidores e à população”, finalizou.

Com a parceria entre a UEL e a Prefeitura de Londrina várias processos foram iniciados ou tiveram andamento como é o caso da duplicação da Rua Prefeito Faria Lima e da Avenida Aminthas de Barros, cuja licitação será aberta nos próximos dias; assim como a substituição das luminárias da cidade por lâmpadas de LED; e do sistema de gestão de Recursos Humanos, que está em fase de licitação.

Ana Paula Hedler e Juliana Gonçalves/NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios