Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Lançado oficialmente ontem, o Núcleo de Londrina irá viabilizar produções e formar pessoal para o setor

O segmento de audiovisual de Londrina, que vem se consolidando como uma das áreas mais férteis da economia criativa local, passa a contar com mais uma força para impulsionar os projetos feitos na cidade. Na quinta-feira (24), foi realizada a solenidade de lançamento do Núcleo de Produção Digital (NPD) de Londrina. O evento ocorreu no gabinete do prefeito Marcelo Belinati, que se reuniu com integrantes do NPD, autoridades locais, além de representantes de secretarias, órgãos e entidades.
Também foi feita a divulgação da produção do longa-metragem “Passagem Secreta”, que será o primeiro projeto rodado na cidade a utilizar os equipamentos adquiridos pelo NPD Londrina.
O NPD fará a formação de produtores e dará suporte às produções audiovisuais locais, possibilitando, por meio da cessão de equipamentos profissionais, a realização de curtas, médias e longa-metragens, além de séries televisivas. Atuará em um modelo de governança compartilhada, propiciando a ampliação de acesso do cidadão aos meios de produção e edição audiovisual.
Este Núcleo integra a Rede Nacional de NPDs, que funciona em vários municípios e é gerida pelo Centro Técnico Audiovisual, do Rio de Janeiro. Em Londrina, o projeto é fruto de um Acordo de Cooperação Técnica (ACT) celebrado, em 2017, entre a Prefeitura e o Ministério da Cultura, representado pela Secretaria do Audiovisual (SAV/MinC).
Por meio da parceria firmada com o governo federal, o órgão foi constituído e iniciou sua formulação. Em agosto de 2018, recebeu uma série de equipamentos que serão concedidos às produções desenvolvidas em Londrina. Com um Comitê Gestor formado em outubro de 2018, agora inicia efetivamente suas atividades.
O prefeito Marcelo destacou o audiovisual como um setor que capta recursos e incentiva o crescimento da economia, além de fortalecer a cultura com produções de qualidade para o cinema e outras linguagens. “A cultura é mecanismo gerador de cidadania e inclusão social. E a área do audiovisual, que está em franco crescimento, tem um papel importante para difundir o nome de Londrina positivamente para o Brasil e o mundo. O Núcleo de Produção Digital é fruto de um planejamento amplo e será um ingrediente especial para colaborar com as produtoras, gerar emprego e renda e engrandecer nosso cenário cultural”, analisou.
O secretário municipal de Cultura e integrante do Comitê Gestor do NPD Londrina, Caio Julio Cesaro, destacou que o Núcleo irá qualificar as atividades de técnicos, editores, produtores e cineastas na formação e inserção no mercado audiovisual, incentivando também o maior número de produções do segmento para valorizar os trabalhos feitos na cidade. “O modelo de atuação é flexível e permite a redução de custos nas produções, a busca por novas parcerias e a articulação de políticas públicas integradas para ampliar o alcance das ações. Londrina passa a fazer parte de uma rede nacional de núcleos dessa natureza e terá a chance de criar um ciclo de investimentos neste setor”, destacou.
Outra novidade citada por Cesaro é que está em processo de formalização uma parceria entre a Prefeitura e o Sistema Fiep/Sesi Cultural para ações conjuntas de apoio ao desenvolvimento do NPD Londrina. “A proposta prevê que o Sesi possa sediar atividades do Núcleo e armazenar os equipamentos. A previsão é que a parceria seja concluída em um prazo de cerca de 30 dias”, adiantou.
Segundo Solange Batigliana, secretária municipal de Cultura em exercício, o apoio e envolvimento da Prefeitura com essas iniciativas reforça as políticas culturais realizadas em prol da cidade. “O audiovisual se mostra um importante vetor de desenvolvimento que traz recursos para cá e amplia as possibilidades de produções em diferentes modelos”, comentou.
Equipamentos

O conjunto de equipamentos cedidos pelo Ministério da Cultura representam um montante de aproximadamente R$ 170 mil. Integram o rol de itens adquiridos kits de iluminação e som, uma câmera para captura de imagem em resolução 4k, câmeras de resolução HD, e computadores para edição com monitores 4k. Os aparelhos serão utilizados nas ações de formação do NPD Londrina e poderão ser emprestados para produções dentro de regras estabelecidas pelo Comitê Gestor do Núcleo.
Segundo o presidente do Arranjo Produtivo Local (APL) Audiovisual de Londrina e Região, Guilherme Peraro, que também é produtor executivo do longa-metragem de ficção “Passagem Secreta, a iniciativa do Núcleo de Produção Digital impulsiona tanto os iniciantes no cinema como as produtoras já estabelecidas, pois facilita o acesso a equipamentos caros e de alta qualidade. “O projeto possibilitará ações formativas de grande valia para a produção local. Há economia no orçamento e a chance de formar mão de obra qualificada para o audiovisual”, disse.
Recurso

Durante o lançamento do NPD de Londrina, o secretário de Cultura ainda lembrou de um aporte financeiro importante para o audiovisual de Londrina: a aprovação de R$ 4,8 milhões viabilizados, em outubro do ano passado, pela Secretaria Municipal de Cultura junto ao Ministério da Cultura. Do valor total adquirido, R$ 4 milhões são provenientes do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e os outros R$800 mil são investidos pela própria Prefeitura, por meio de verbas disponíveis no
Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic). “Os proponentes de projetos do Promic poderão concorrer a recursos do programa, sendo que estão previstos, para 2019, cerca de R$ 300 mil para formação e mais R$ 400 mil para realização de dez curtas, que já poderão solicitar o suporte do NPD”, salientou Cesaro.
Comitê Gestor

Foi criado pelo Decreto 1514, de 25 de outubro de 2018, o Comitê Gestor do Núcleo de Produção Digital de Londrina. A Secretaria Municipal de Cultura atuará como órgão responsável pela execução e acompanhamento dos projetos. Também compõem a equipe representantes do Sistema
Fiep

Sesi Cultural, do Arranjo Produtivo Local (APL), Núcleo do Audiovisual de Londrina (NAV) e Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel).
Reuniões já foram realizadas pelo Comitê, entre dezembro do ano passado e janeiro de 2019, para alinhar as estratégias de atuação de estabelecer as regras de concessão de uso dos equipamentos.
“Dentro das diretrizes, é claro que existirão critérios claros para os empréstimos. Os solicitantes terão que firmar um termo de responsabilidade e dar garantias para a utilização de cada item durante as produções realizadas”, adiantou o secretário de Cultura.
“Passagem Secreta”

O primeiro projeto a utilizar equipamentos cedidos pelo NPD Londrina será o longa-metragem de ficção “Passagem Secreta”, da Kinopus Audiovisual. O longa, que será filmado entre os meses de janeiro e março de 2019, tem direção de Rodrigo Grota, roteiro de Roberta Takamatsu e produção de Guilherme Peraro. A divulgação for reforçada na cerimônia desta quinta (24), no gabinete da Prefeitura.
O projeto foi um dos selecionados no edital de filmes longa-metragem de baixo orçamento do Ministério da Cultura de 2016. O edital de Longa BO Infantil é financiado com recurso do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e da Agência Nacional de Cinema (ANCINE). O orçamento de mais de R$ 1,1 milhão será praticamente todo gasto na cidade de Londrina.
Segundo Guilherme Peraro, produtor executivo do longa-metragem, as filmagens começaram na segunda-feira (21) e serão todas feitas em Londrina. A equipe é formada, em quase sua totalidade, por profissionais londrinenses, mobilizando mais de 60 pessoas em todas as etapas de produção, além de atores e figurantes.
História

O filme é protagonizado por quatro crianças (Alice, Sofia, Hugo e Vico)  tendo a personagem Alice como a principal e Heitor como seu tio. Alice vai morar com Heitor em uma cidade pequena do interior onde ele cuida de um parque de diversões quase falido. Nesta cidade ela conhece essas três crianças que, juntas, irão viver algumas aventuras até que uma delas desaparece justamente neste parque. Alice e os outros dois acabam descobrindo uma passagem secreta no parque para um laboratório construído no subterrâneo, onde o avô de Alice fazia experimentos com a consciência do ser humano e propagação da vida. E Alice parece ser um desses experimentos conduzidos com a ajuda do seu tio, Heitor. Neste laboratório/labirinto Alice terá que tomar decisões que podem afetar ela mesma e seus amigos.
Renan Oliveira/NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios