Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Pesquisa encomendada pelo Fórum Desenvolve Londrina aponta que a autoestima do londrinense aumentou nos últimos anos; estudo anual também propõe solução de problemas

O Fórum Desenvolve Londrina, que reúne as principais entidades empresariais, de tecnologia, pesquisa e instituições de ensino superior da cidade, publicou hoje o Manual de Indicadores de Desenvolvimento de 2021 e a X Pesquisa de Percepção da População. Os materiais foram apresentados em transmissão on-line pelo canal da entidade no Youtube e já estão à disposição para download no site do Fórum. De uma maneira geral, a percepção do londrinense em relação à cidade está mais positiva: 79,7% dos entrevistados consideram a qualidade de vida ótima ou boa. Apenas 2,8% avaliaram como ruim ou péssimo esse quesito.

A pesquisa ainda aponta outros números reveladores:

86,3% concordam que Londrina é uma cidade boa para se viver;

62,8% concordam que a cidade é bem cuidada e com espaços públicos conservados;

76,8% sentem orgulho de Londrina e fazem questão de demonstrar para outras pessoas;

59,8% consideram que a cidade revitaliza e conserva seus parques e áreas verdes;

52,7% acreditam que Londrina oferece boas opções para a prática de esportes;

54,2% consideram que a cidade oferece uma boa perspectiva de futuro para os moradores;

46% acham que Londrina teve um bom desenvolvimento econômico nos últimos quatro anos.

O IDEB (Índice de Desenvolvimento do Ensino Básico Anos Iniciais) subiu de 4,7 pontos em 2005 para 6,8 em 2019.

O número de espaços destinados à cultura foi elevado de 117 em 2009 para 154 em 2018.

Atualmente há 1436 cursos de graduação ofertados. Em 2012 havia 510.

O Valor Adicionado Fiscal subiu de R$ 6,51bi em 2012 para R$ 10,38 bi em 2020.

A concessão de alvarás de funcionamento subiu de 3.573 em 2009 para 11.388 em 2018 (último ano da tabela oficial).

O número de microempreendedor individuais (MEIs) subiu de 1.982 em 2010 para 35.139 em 2020.

Quando perguntados sobre o que mais gostam na cidade, 20,5 % responderam área verde, parques e turismo; 17,7% apontaram a população, hospitalidade e o clima; 17,7% indicaram a qualidade de vida, o emprego e o estudo; 9,7% escolheram comércio, shoppings e restaurantes.

Ao serem indagados sobre problemas que os afligem, 36,5% dos entrevistados apontaram ‘os moradores de rua’; 32% a questão da segurança e 28,2% o emprego. Os três itens mais positivos apontados foram coleta de lixo 38,5%; áreas verdes 36% e iluminação pública 34%.

Ao ter acesso à pesquisa, hoje de manhã, o prefeito Marcelo Belinati comentou que “a maior obra de todas que fez durantes estes anos, foi resgatar o orgulho do londrinense. Hoje as pessoas falam bem da cidade”. Para o presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Bruno Ubiratan, os números refletem o excelente momento vivido pela cidade. “Se pensarmos que as pessoas ainda estão tensas com a pandemia, com a crise econômica mundial e com mudanças na rotina de vida, os indicadores são simplesmente surpreendentes”, afirmou Ubiratan.

A pesquisa de percepção é feita há 10 anos com a mesma metodologia, para que seja possível comparar dados, transformações reais, e também as subjetivas, ao longo dos anos.  A técnica de amostragem foi estratificada por sexo, faixa de idade , renda familiar e região de moradia, com pesquisa descritiva e quantitativa. A coleta de dados com 600 entrevistados realizou-se entre agosto e outubro de 2021.

A medição e o acompanhamento periódico, segundo o Fórum, incentivam a sociedade a tomar providências para melhorar a realidade apresentada. De acordo como professor Leandro Henrique Magalhães, presidente do Fórum Desenvolve Londrina, através dos indicadores é possível fomentar os debates das entidades. “Pautamos nossas diretrizes a partir desses dados, para analisar como o cidadão enxerga a cidade e avalia suas perspectivas para o futuro. Envolvemos pessoas, lideranças, entidades, formadores de opinião, imprensa, sociedade. Evidenciamos temáticas estratégicas para que a cidade enxergue o seu presente e planeje o seu futuro”, afirma o professor.

Já o Manual é baseado no levantamento de indicadores socioeconômicos-culturais do município e montado a partir da visão de futuro do Fórum para 2034, que projeta que Londrina “seja uma comunidade ativa e articulada, construindo uma cidade solidária, segura e saudável, tecnologicamente avançada, integrada com a região norte do Paraná e globalmente conectada, com uma economia diversificada e dinâmica, gerando riquezas e promovendo o equilíbrio social, cultural e ambiental”.

NCPML

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.