Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Troféu foi entregue na Prefeitura de Londrina por comitiva do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita do Estado do Paraná

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, recebeu ontem (24) o troféu pelo Prêmio Gestor Público Paraná, concedido ao Município pelo projeto da Central de Vagas da Educação Infantil. A conquista de Londrina foi anunciada no final de 2020 durante a solenidade do Prêmio, realizado pelo Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita do Estado do Paraná (Sindafep).

Ao todo, 68 municípios inscreveram 162 projetos e foram contemplados 36 municípios, além de um Consórcio de Municípios, com premiação de 43 projetos na última edição. A entrega do prêmio foi feita pelo presidente do Sindafep, Osmar de Araújo Gomes, com a presença da secretária municipal de Educação, Maria Tereza Paschoal de Moraes.

Ao receber o troféu do Prêmio Gestor Público Paraná, o prefeito Marcelo Belinati afirmou que a Central de Vagas foi um projeto inovador que solucionou a falta de vagas para crianças de zero a três anos, problema que persistiu por muitos anos em Londrina. “Criamos a Central de Vagas, reorganizamos o sistema, vimos quantas vagas realmente faltavam e fizemos o diagnóstico adequado. Daí partimos para solução dessa questão: contratamos professores, construímos creches e ampliamos outras, para que a gente possa tratar com amor, carinho, respeito e atenção as nossas crianças. Esse é nosso dever e nossa obrigação”, frisou Marcelo.

O prefeito de Londrina também saudou toda a equipe da Secretaria Municipal de Educação (SME), que implantou e coordena a Central de Vagas da Educação Infantil, por mais um prêmio obtido. “Esse prêmio é um reconhecimento, e recebe-lo é algo muito gratificante. Toda a equipe da Educação está de parabéns pelo trabalho e pelo resultado, que tornaram melhor a vida de muitas pessoas”, disse.

A Central de Vagas da Educação Infantil foi selecionada como boa prática na administração pública, já que a iniciativa organizou e reduziu a fila de espera por matrículas em centros de Educação Infantil, municipais e conveniados.

Segundo o presidente do Sindafep, Osmar de Araújo Gomes, um dos objetivos principais do Prêmio Gestor Público é contribuir com a sociedade ao incentivar boas práticas no poder público, em especial nas prefeituras. “Por meio desse reconhecimento a quem bem aplica os recursos públicos, incentivamos os servidores, valorizando o funcionalismo municipal que presta um bom serviço aos munícipes, e divulgamos ações de sucesso que podem ser replicadas em outras cidades”, disse.

A secretária municipal de Educação, Maria Tereza Paschoal de Moraes, lembrou que o projeto da Central de Vagas já recebeu diversos prêmios, e a nova conquista só reforça a importância e o valor dessa iniciativa. “Hoje a rede municipal tem sete mil crianças matriculadas na faixa etária de zero a três anos. Todas elas, nascidas desde 2017, passaram pela Central de Vagas. Na época, a fila era um problema tão grande que a Prefeitura tinha mais de 700 ações judiciais abertas em 2016 sobre esse tema, e hoje não temos nenhuma”, frisou.

Quando o projeto foi lançado, em 2017, a estimativa era de cerca de 12 mil nomes de crianças de zero a três anos à espera de uma vaga na rede pública. A primeira etapa do trabalho consistiu em uma filtragem que verificou que, na realidade, eram aproximadamente sete mil crianças não estavam matriculadas. Muitos pais incluíam os filhos nas filas de várias creches, na expectativa de serem chamados em ao menos uma delas.

Hoje, a Central de Vagas registra 1.048 crianças em espera. Ao todo, a Rede Municipal oferta 36 Centros de Educação Infantil Municipais (CMEIs) e outros 58 são conveniados. Em breve, mais duas unidades serão inauguradas, com abertura programada para setembro. Localizadas nas regiões sul e leste, serão ofertadas mais 180 vagas para alunos de zero a três anos.

Participaram da entrega do prêmio a gerente da Central de Vagas da SME, Hylceya Ferreira, e a professora Dilma Macedo Reis, que também atua no projeto. Elas explicaram que um dos critérios utilizados para selecionar as famílias que serão atendidas pelas vagas que surgem é a vulnerabilidade socioeconômica. Ou seja, as vagas são destacadas a quem mais precisa e não necessariamente a quem se cadastrou primeiro.

Além de centralizar em um único sistema o cadastro de crianças e de vagas disponíveis nas creches, impedindo as duplicidades, a iniciativa permitiu que o Município tivesse conhecimento da demanda e se planejasse para garantir mais vagas, por meio da ampliação ou construção de novas unidades escolares.

De acordo com a gerente da Central de Vagas da SME, Hylceya Ferreira, dos 1.048 cadastros em fila, praticamente metade já recebeu uma proposta de vaga mas, por diversos motivos, a família optou por recusar. “Podem ocorrer diversas situações. Às vezes, a família indicou uma creche que já não é mais viável por terem mudado de endereço ou de emprego; ou até mesmo os pais optarem por não enviar os filhos para a creche por conta da Covid-19. São vários fatores, e eles continuam em fila até que a criança seja matriculada”, citou Hylceya.

A solenidade teve ainda a presença do prefeito de Jardim Alegre, José Roberto Furlan, acompanhado do vice-prefeito, Moisés Lnortovz dos Santos e do vereador Pinguinha. O Município de Jardim Alegre foi contemplado com o Certificado de Reconhecimento do Prêmio Gestor Público, em 2020, pelo projeto de geração de energia solar para utilizar na iluminação pública da cidade.

Participaram também o vice-presidente do Sindafep, Carlos Alberto Stella, os auditores fiscais José Américo, José Carlos Guidotti; e o vereador de Londrina, Matheus Thum.

Como se inscrever

Atualmente, são atendidas pela Central de Vagas as crianças nascidas de 1° de abril de 2017 a 2021, para matrícula em turmas de CB a C3. O atendimento presencial é feito com horário marcado previamente, de segunda a sexta-feira das 7h30 às 17h30. Os pais ou responsáveis que queiram agendar um atendimento devem entrar em contato pelos telefones (43) 3375-0220 e 3375-0282.

No dia da entrevista, é preciso apresentar os documentos listados na página da SME, no Portal da Prefeitura. Além das informações pessoais, os pais e responsáveis devem indicar até três unidades de interesse em matricular a criança, preferencialmente localizadas próximas da residência ou local de trabalho.

Por conta da pandemia do novo coronavírus, pessoas do grupo de risco ou que estejam com sintomas gripais são atendidas remotamente. “Fazemos o contato por ligação e mensagens do WhatsApp, para preencher o cadastro e inserir a criança na espera. Dessa forma, não precisamos paralisar nosso trabalho e garantimos o atendimento de todos”, disse a gerente.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.