Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Londrina está sendo avaliada como possível primeira cidade brasileira a receber uma unidade da faculdade de línguas e cursos profissionalizantes

Ontem (9), o prefeito Marcelo Belinati recebeu, em seu gabinete, o Sr. Masumi Shimizu, presidente da escola japonesa Nippon Academy. Trata-se de um complexo que abrange uma faculdade de ensino de língua japonesa e cursos profissionalizantes, voltada a receber estrangeiros que desejam aprimorar o idioma e concorrer a vagas mais qualificadas no mercado de trabalho, para além da mão de obra convencional. A instituição fica localizada na cidade de Maebashi, na província de Gunma, a 100 km da capital Tóquio.

O proprietário japonês, que também atua na rede hoteleira, está visitando o Brasil pela primeira vez, onde busca firmar parceria para implantar, de forma inédita, um centro físico da Nippon Academy no País, visando o treinamento de intercambistas. Shimizu mencionou ao prefeito Marcelo que Londrina poderá ser a primeira cidade brasileira a ganhar um centro de treinamento da instituição. “A ideia é trazer nossa metodologia de ensino, instalar um polo da escola para capacitar pessoas interessadas em estudar, trabalhar e conhecer a cultura do Japão, sejam eles descendentes de japoneses ou não, de qualquer parte do Brasil”, adiantou.

O processo de análise sobre a implantação de uma unidade no Brasil está em andamento. No momento, Londrina é uma das prioridades, juntamente com São Paulo (SP), por possuir uma forte comunidade nipônica e ser um centro universitário. Outro local que está sendo prospectado na América do Sul é a cidade de Lima, capital do Peru.

Segundo o empresário, as articulações sobre um possível projeto a ser desenvolvido em Londrina vem ocorrendo mediante parceria com a empresa brasileira Living Japan, que presta assessoria no setor de intercâmbio educacional para o Japão, e com o Colégio Mãe de Deus, que cederia suas instalações para receber as atividades. O colégio também foi visitado por ele durante a passagem por Londrina.

Na visita ao gabinete do prefeito, Shimizu recebeu das mãos de Marcelo um guia informativo sobre Londrina e disse que ficou encantado com a beleza da cidade e a hospitalidade dos moradores. “Fui muito bem recebido e achei Londrina uma cidade linda, com vários elementos da natureza ocupando a área urbana. Espero que Londrina e Maebashi possam se aproximar e, agora, aguardo uma visita do prefeito quando ele for ao Japão”, disse.

O prefeito Marcelo comentou com o empresário sobre as relações de coirmandade de Londrina existentes com as cidades japonesas de Nishinomiya e Nago. Ele também contou que esteve no Japão, em 2017, vivenciando uma experiência muito positiva e enriquecedora. Ainda disse que deve retornar ao país asiático em breve, com previsão de nova visita em novembro deste ano. “Temos grande influência do Japão no pioneirismo e desenvolvimento de Londrina. Seria mais um orgulho poder receber este projeto que ajudará muitos estudantes e trabalhadores a conhecer o Japão e buscar boas oportunidades de estudo e trabalho”, destacou.

O brasileiro Vinicius Hikaru Akimoto, que é professor da Nippon Academy em Maebashi, e diretor da instituição na América do Sul, informou que a empresa atua há 30 anos neste segmento e conta hoje com 1.400 alunos, de 20 nacionalidades diferentes. A empresa atua também em países como Mongólia, Indonésia, China e Vietnã. “Todos aprendem a língua japonesa e possuem visto de estudante para morar no Japão, e depois podem estender sua licença ou obter visto especial de profissional, com a possibilidade de ingressar diretamente no mercado de trabalho e morar para sempre no país, caso desejem”, disse.

Akimoto disse que a faculdade Nippon Academy ainda oferece cursos profissionalizantes de hotelaria, Tecnologia da Informação (TI), gastronomia, agronomia, além de técnica em enfermagem para formar cuidadores de idosos. “Atualmente, cerca de 30% da população japonesa corresponde a cidadãos com 70 anos ou mais, e o país vem buscando capacitar mão de obra qualificada estrangeira. Os estudantes aprimoram o idioma japonês e podem ter acesso a cursos superiores ou técnicos”, completou.

Também estiveram presentes no encontro, no gabinete do prefeito, a Irmã Rosa Maria, gestora administrativa do Colégio Mãe de Deus, junto a outros representantes deste colégio, o vereador Jairo Tamura, e o diretor da empresa Living Japan, Marco Antonio Miyazaki.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios