Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Os empreendimentos habitacionais Vista Bela e Cristal receberam o benefício da remissão; mais de 1.000 famílias serão beneficiadas com o desmembramento destes condomínios

A Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Fazenda (SMF), está realizando uma ação que garante mais dignidade às famílias carentes de Londrina e ajuda a amenizar o impacto socioeconômico da pandemia da Covid-19. Está sendo feita a remissão das dívidas do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e das taxas imobiliárias,  além da individualização das unidades imobiliárias dos imóveis localizados nos Conjuntos Habitacionais Residencial Vista Bela II, V, VIII e X e Cristal I e II.

A remissão dos débitos somente é possível devido à Lei Municipal nº 12.974, sancionada pelo prefeito Marcelo Belinati em dezembro de 2019. Ela garantiu ao Poder Público a possibilidade de concessão da remissão de dívidas dos créditos fiscais aos imóveis não desmembrados, quando pertencentes ao Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), dentro do Programa Minha Casa Minha Vida, como é o caso dos seis conjuntos habitacionais citados acima. Nos termos da Lei 12.974/2019, a remissão deve ser requerida pelo interessado e  de lá para cá, muito trabalho vem sendo feito pela Secretaria de Fazenda para colocar a lei em prática.

Segundo explicou o secretário da pasta, João Carlos Barbosa Perez, tanto no Vista Bela quanto no Cristal I e II ainda não havia sido feita a individualização das inscrições imobiliárias dos apartamentos. Isso gerou a cobrança do IPTU e da taxa de coleta do lixo única para cada um dos lotes originais, quando o certo seria lançar um boleto de IPTU/taxa de lixo para cada apartamento individualmente.

 “Conseguimos fazer a remissão dos débitos do IPTU, que foram lançados de forma unificada para esses condomínios. E, na sequência, vamos corrigir o cadastro imobiliário, para que elas possam ter acesso ao IPTU Social a partir de 2022. São famílias humildes, que querem regularizar a situação para ficar em dia com o Município, e que têm direito de serem considerados proprietárias”, explicou Perez.

Para informar as famílias sobre o andamento dos trabalhos, na terça-feira (6), o secretário de Fazenda realizou uma reunião com os representantes do Residencial Vista Bela e do Cristal I e II, na sede da Secretaria Municipal de Fazenda. A partir do próximo ano, as 1.156 famílias vão receber o boleto do IPTU e da taxa de coleta de lixo individualizados, com o benefício do IPTU Social e da taxa de coleta social.

Isso porque, com a retirada das dívidas lançadas anteriormente, os técnicos da SMF poderão fazer a correção dos cadastros imobiliários e gerar uma inscrição única para cada apartamento desses seis residenciais. O objetivo da regularização é conceder ao cidadão o direito à moradia digna, assim como dar a ele segurança social e jurídica, além de o direito de usufruir de benefícios fiscais concedidos pelo Município.

IPTU Social

Está previsto na Lei Municipal nº 12.575/2017. Ele é destinado aos beneficiários dos Programas de Regularização Fundiária, realizados pelo Município de Londrina ou pela Companhia Municipal de Habitação de Londrina (Cohab-Ld), e beneficiários do Programa Minha Casa Minha Vida, cujos imóveis são provenientes do Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social (FNHIS). Em 2021, 7.731 famílias foram contempladas com o IPTU Social e com a taxa de coleta de lixo social, em Londrina, e pagaram no máximo R$ 111,30 com esse imposto e taxa somados.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.