Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Atividades foram retomadas ontem (24), seguindo medidas de segurança e higienização contra o coronavírus; para organizar logística de retorno, "Feira do Cincão" adia volta para 3 de maio

Em transmissão ao vivo, pela internet, realizada ontem (24), o diretor-presidente da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU), Marcelo Cortez, detalhou como será o funcionamento das feiras livres em Londrina após a retomada das atividades econômicas. A decisão pela reabertura foi aprovada na quinta-feira (23) à noite, em reunião do Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública (COESP), formado por profissionais de saúde e médicos especialistas para monitorar a situação do novo coronavírus na cidade.

Durante o anúncio, do qual participou também o presidente da União dos Feirantes, Silvio Costa, ficou estabelecido o uso obrigatório de máscaras tanto para os comerciantes quanto para os clientes. No caso dos primeiros, é indispensável ainda a utilização de luvas de proteção.

As barracas, que serão montadas a uma distância mínima de dois metros umas das outras, terão de ostentar cartaz de conscientização sobre as formas de prevenção à Covid-19. As estruturas, assim como balcões, máquinas de cartão e outras superfícies, também precisarão ser higienizadas constantemente com álcool em gel – artigo que deverá permanecer sempre à disposição dos frequentadores.

Não será permitido o consumo de alimentos nas feiras. Mesas e cadeiras serão retiradas dos espaços para evitar que isso aconteça. Dessa forma, pastéis, espetinhos, comida japonesa e outros produtos preparados no local só estarão disponíveis para solicitação a distância de um metro, retirada, porém com aproveitamento em domicílio.

Outra novidade é a eliminação de bacias e outros utensílios para a escolha dos itens. As quitandas terão de oferecer sacolas plásticas para que o consumidor coloque nas mãos antes de tocar nas frutas, legumes e verduras. Por fim, ficou determinado também que cada comerciante ficará responsável pela orientação quanto a possíveis aglomerações em frente às bancas, devendo alertar e orientar os clientes quanto aos riscos da prática.

Durante a live de divulgação das medidas, o presidente da CMTU destacou e agradeceu a sensibilidade do prefeito Marcelo Belinati em ratificar a decisão do COESP de autorizar a reabertura das feiras. “A categoria dos feirantes se uniu, a companhia ouviu as demandas, as apresentou ao prefeito e, juntos, construímos esse rol de exigências. Nossa expectativa é a retomada das atividades com toda a segurança possível para comerciantes e frequentadores”, afirmou Cortez.

O diretor-presidente da CMTU frisou ainda que, excepcionalmente, neste domingo(26), a “Feira do Cincão”, que acontece na avenida Saul Elkind, na zona norte, não será realizada. Isso porque, sendo uma das maiores do tipo no Paraná, com a participação de muitos feirantes e a atração de milhares de pessoas, não teve tempo hábil para uma organização de acordo com as novas diretrizes.

Cortez explicou que, para o próximo domingo, dia 3 de maio, a feira está mantida. Até lá, CMTU e feirantes se adaptarão às novidades. Com a exigência de distanciamento, existe a possibilidade de ampliação da área em que as barracas podem ser montadas, o que implica a necessidade de novas interdições viárias e pode afetar motoristas da região, usuários do transporte coletivo, além de moradores.

Retorno

Suspensas desde o dia 30 de março, em razão da pandemia do novo coronavírus, as 34 feiras que ocorrem semanalmente em Londrina voltaram a acontecer na manhã de hoje(24), na rua Santos, região central, já com a entrada em vigor das novas medidas de segurança.

O presidente da Associação dos Feirantes de Londrina, disse que esteve na feira livre da Rua Santos, hoje pela manhã, e que tudo correu bem. “Havia dois seguranças, um em cada lado da feira, borrifando álcool nas mãos dos clientes e orientando os que estivessem sem máscaras. Os clientes já estão sensibilizados a não fazer aglomerações e tudo correu bem nesta manhã. Estamos felizes com este retorno, pois os feirantes aguardavam por isso com ansiedade”, frisou.

O prefeito Marcelo Belinati disse, na manhã de hoje, que assim como os mercados, sacolões e as padarias, que já estão abertos desde a última segunda-feira (20) e trabalham em ambientes fechados, as feiras livres também atuam com alimentação, em ambiente aberto, por isso é possível a retomada de suas atividades com segurança, protegendo a vida dos trabalhadores e dos consumidores. “O Plano de Contingência feito pelos próprios feirantes, com auxílio da administração, mostrou  ser perfeitamente possível retornar as atividades das feiras com segurança”, afirmou.

Marcelo frisou que é  uma maneira nova de trabalhar, mas que traz a segurança necessária para proteger a vida de todos. “Quero cumprimentar todos os feirantes, tenho muito respeito e admiração por esta categoria de profissionais, que acorda de madrugada para tirar o sustento de suas famílias e levar produtos de qualidade para nossa população”, destacou.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios