Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Prefeito Marcelo e o pesquisador e embaixador de Londrina, Pedro Riccetto, conversaram sobre o programa realizado em parceria entre a Prefeitura e Oxford, que poderá incluir as universidades de Harvard e Columbia

Com o objetivo de discutir futuras parcerias entre a Prefeitura de Londrina e instituições internacionais de ponta, o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, recebeu, ontem (14), a visita do pesquisador londrinense Pedro Arcain Riccetto, que leciona nas universidades de Oxford e Harvard,  e que recebeu recentemente o titulo de 1º Embaixador de Londrina.

Participaram do encontro o secretário municipal de Governo, Alex Canziani, a administradora da Secretaria Municipal de Governo (SMG), Liz Rodrigues, o diretor de Ciência e Tecnologia do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Roberto Moreira, e a diretora de Turismo da Codel, Renata Queiroz.

Entre julho e agosto deste ano, Riccetto intermediou a participação de dois bolsistas do programa Summer Fellowship, da Universidade de Oxford, em um projeto de pesquisa realizado pela Prefeitura de Londrina, por meio da SMG e Codel (leia mais abaixo). Durante a reunião, foi discutida a possibilidade de que a segunda edição do programa, confirmada para 2022, seja promovida de forma ampliada e presencial, com a participação de estudantes das universidades norte-americanas de Harvard e Columbia, que já demonstraram interesse na iniciativa. Assim como nas atividades de 2021, o foco da próxima edição será o planejamento de soluções inovadoras para a administração pública.

O prefeito Marcelo Belinati agradeceu a Riccetto pela colaboração e destacou a importância do trabalho realizado pelo pesquisador em prol de Londrina. “O Pedro é um pesquisador jovem e de muito talento, a quem nós recentemente concedemos o título de 1º Embaixador de Londrina, graças ao trabalho que ele tem feito para ajudar a aprimorar ainda mais a gestão pública do Município. Só temos que agradecer e parabenizá-lo, e esperamos que o seu exemplo incentive outras pessoas que são londrinenses ou têm ligação com Londrina, e hoje estão em lugares estratégicos, a contribuir para o progresso da cidade”, disse.

Riccetto destacou que essa foi a primeira parceria de Londrina com a Universidade de Oxford, e que o resultado foi positivo tanto pelos trabalhos produzidos pelos bolsistas quanto pela boa recepção proporcionada a eles pela Prefeitura. Ainda segundo o pesquisador, a ideia é que, na próxima edição, o programa contribua inclusive para o desenvolvimento das propostas apresentadas nas atividades de 2021. “Pretendemos fazer algo mais sistemático e analisar de forma integrada o trabalho dos pesquisadores e os projetos de governança e inovação para Londrina. Por isso, a intenção é reunir, presencialmente, alunos de diferentes instituições e áreas do conhecimento para que eles discutam projetos de interesse da cidade e contribuam para o desenvolvimento de uma estratégia de inovação, alinhada às iniciativas da Prefeitura”, frisou.

O secretário municipal de Governo, Alex Canziani, salientou que as discussões realizadas na primeira edição do programa foram de alto nível, e que a administração está trabalhando para implementar as soluções oferecidas pelos estudantes nas áreas de habitação e digitalização de serviços públicos. “Além de estarmos muito satisfeitos por continuar a colaboração com Oxford, Londrina agora tem a possibilidade de ser o único município do Brasil a ter parcerias também, simultaneamente, com Harvard e Columbia. Dessa forma, vamos continuar a ter talentos do mais alto nível discutindo políticas públicas voltadas a fortalecer cada vez mais a cidade, principalmente na área da inovação, que é prioritária para a atual administração”, afirmou.

Primeira edição

Durante oito semanas, os estudantes chineses Cody Chenxi Wang e Ying Liu, ambos mestrandos em Políticas Públicas da Escola de Governo de Oxford, desenvolveram pesquisas alinhadas à elaboração do Masterplan Londrina 2040, planejamento estratégico para os próximos 20 anos.

Visando buscar soluções inovadoras que poderão ser implantadas em Londrina, para melhorar a qualidade de vida da população, os pesquisadores apresentaram propostas nas áreas de habitação e tecnologia da informação (saiba mais). Os encontros do projeto aconteceram uma vez por semana, por meio de videoconferências, e envolveram representantes de diferentes órgãos e secretarias municipais.

NCPML

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.