Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Neli Beloti convida para uma viagem pela história e pelos diferentes tipos desta iguaria, com direito a degustação. Renda do curso será revertida para a reconstrução do Circo-Teatro Funcart

Uma das invenções culinárias mais antigas da humanidade será o tema da aula que Neli Beloti, conhecida professora do Departamento de Medicina Veterinária Preventiva da UEL, ministra neste sábado (8) em Londrina, das 8 ao meio-dia e das 14 às 18 horas, no Instituto Agronômico do Paraná – IAPAR (Rod. Celso Garcia Cid, 375). O curso de Queijos Finos pode ser feito por pessoas com qualquer formação, desde consumidores ou apreciadores até produtores ou comerciantes ligados ao universo dos laticínios. O investimento é de R$ 150, incluindo a degustação das variedades de queijos comentados durante o módulo. As inscrições podem ser feitas pelo Portal Sympla, pelo endereço https://www.sympla.com.br/curso-de-queijos-finos__765731 e as vagas são limitadas. Toda a renda será revertida à Fundação Cultura Artística de Londrina, mais especificamente para custear parte dos projetos do novo Circo Funcart, teatro de contêineres que será erguido no mesmo espaço da sala cênica anterior, às margens do Lago Igapó. O curso conta com o apoio do Empório Montanara, Laticínios Volpato e Vita Minas Pão de Queijo.

Ao longo da formação, os inscritos terão contato com informações sobre as exigências da matéria-prima e os fatores que determinam a qualidade e características do produto final, bem como os processos de maturação, classificação e origem. Com vasto material imagético projetado em slides, Neli passa pelas peculiaridades da produção de queijos italianos (como parmigiano, mozzarella, ricota e gorgonzola), franceses (roquefort, brie e camembert), holandeses (gouda e edam), espanhóis (manchego e cabrales), suíços (emental e gruyere) e portugueses (manchego e cabrales). A maioria destas regiões europeias foram visitadas pela palestrante ao longo de sua pesquisa de pós-doc, intitulada “Qualidade do leite para a produção de queijos finos”.

A vida acadêmica da professora-doutora sênior da UEL foi dedicada ao estudo do leite e seus derivados, tornando-se uma das pesquisadoras mais respeitadas do Brasil na área. Na Universidade, Neli é responsável pelas disciplinas de Queijos Finos e Microrganismos Patogênicos em Alimentos. “O curso surgiu como uma disciplina da pós-graduação, que eu ministrei várias vezes. Vi que tinha tanta gente interessada e surgiu a ideia de fazer um módulo aberto, para produtores, consumidores, e deu super certo. Já veio muita gente de longe para fazer o curso. É a terceira vez que eu faço para a comunidade”, explica. Neli é da área de inspeção de produtos de origem animal e qualidade do leite e apresentou por vários anos a Coluna “Hora do Leite” na Rádio UEL. Participou ativamente de importantes projetos de pesquisa e extensão que colaboraram na qualidade dos laticínios no Brasil – dentre eles, a patente do FormolFree, produto para detectar formol no leite, uma parceria da UEL com a empresa Londrilab que teve grande repercussão.

Cantora e pianista, Neli une neste curso suas duas paixões, já que a renda será revertida à Funcart – instituição cultural que foi fundada por ela, junto de Silvio Ribeiro e Leonardo Ramos, há duas décadas. Mais especificamente, os recursos serão destinados à reconstrução do Circo Funcart, teatro da Fundação que, no projeto atual, será uma sala cênica feita de contêineres, com inauguração prevista até o fim do ano. “A Funcart, para mim, é um orgulho tão grande quanto o processo da Universidade. É importante a gente poder colaborar, porque tudo é caro, custa muito. Os recursos são para os projetos complementares do teatro, estimados em 27 mil reais. É uma felicidade juntar as duas coisas e ter oportunidade de colaborar”, conclui.

Renato Forin Jr./Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios