Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Vídeos disponibilizados pelo Programa VIDA podem ser vistos gratuitamente via YouTube; seleção está na página Educação em Tempos de Covid-19

Ter um olhar de afeto, de acolhimento e buscar o bem-estar das crianças, principalmente neste período em que a contemporaneidade atravessa uma de suas fases mais difíceis, é um desafio. Pensando nisso, a Secretaria Municipal de Educação (SME), através do Programa VIDA, tem divulgado diversos vídeos para tentar ajudar os educadores, pais, responsáveis e as crianças da rede municipal.

Na página “Educação em Tempos de Covid-19”, a população encontra as dicas, orientações e estratégias para auxiliar as crianças, pais, professores e interessados a aprenderem a lidar com a nova realidade. A ação pode ser acessada clicando-se aqui. Por meio do VIDA, as responsáveis por projetos pedagógicos e eventos da SME, Carla Cordeiro e Andrea Militão, e a gerente de Formação Continuada da SME, Viviane Barbosa Perez, abrem espaço para psicólogos, como Euclides Lunardelli Filho e Paulo Henrique Moratelli, e o doutor em História Social, Leandro Karnal, conversarem com os educadores e com os pais das crianças.

Eles trazem orientações aos pais sobre como organizar a rotina com a criança em casa; as estratégias para ajudar crianças com necessidades especiais durante as atividades remotas; a importância de se conversar sobre o uso de aparelhos eletrônicos e a influência dos mesmos sobre as habilidades de aprendizagem cognitiva; e como manter a saúde mental durante esse período de incertezas, medos, frustrações e ansiedade.

Já para os professores há dicas sobre como lidar com os sentimentos e emoções, muitas vezes, negativos frente às mudanças trazidas pelas atividades à distância e isolamento social; assim como técnicas de respiração e de diálogos transformativos por meio da Justiça Restaurativa. “Nossa intenção é buscar aumentar cada vez mais a humanização na educação. Para isso, trabalhamos com três públicos distintos, que são os alunos, educadores e a comunidade usando quatro fundamentos: os valores, a inclusão, o desenvolvimento humano e a afetividade. Muitos pais, que não são da rede municipal de ensino, pedem para encaminharmos esses vídeos. Eles vêem a importância de trabalhar isso com as crianças, principalmente agora que estamos enfrentando uma pandemia”, explicou uma das responsável pelas ações do programa, Carla Cordeiro.

Além de psicólogos renomados, o programa utiliza também o conhecimento intelectual dos próprios servidores municipais. Isso porque, fazem parte a psicopedagoga Jaqueline Tamara Bonifácio e a mestre em Educação e especialista em Metodologia da Ação Docente, Psicopedagogia Institucional, Administração, Supervisão e Orientação Educacional e Neuropedagogia em Educação, Viviane Barbosa Perez.

Sobre o programa

O Programa VIDA surgiu no início deste ano letivo, quando realizou mais de 25 círculos de diálogo com as crianças, alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA), professores e funcionários da educação. Devido à pandemia, suas ações que antes eram presenciais, passaram a ser a distância, por meio dos vídeos mencionados acima e pelos materiais encaminhados as unidades escolares.

A intenção é ensinar que existem várias maneiras de se solucionar um conflito sem a utilização de violência (seja ela física, psicológica ou moral). Por isso, os participantes são estimulados a conversarem sobre o que os aborrecem, fatos ou falas que levaram a desentendimento, uma ofensa, briga ou outro tipo de conflito.

Através dos círculos de diálogo, os organizadores utilizam os princípios da Justiça Restaurativa, do Programa Amor Exigente e da pedagogia social. Com isso, todos aprendem na prática a conversarem sobre o que os incomoda e acabam, consequentemente, escutando o que o outro tem a dizer e o que ele sente. Com essa vivência desenvolvem-se a afetividade, a empatia, a humanidade e o respeito pelo próximo e mostram que uma solução autocompositiva é capaz de reatar o respeito pelas partes envolvidas.

Como funciona

Em um primeiro momento, os participantes repensam seus sentimentos e percepções individuais e, na sequência, são levados a refletir sobre seu comportamento diante do próximo, do local onde estão inseridos, de sua comunidade e de sua família. Nos círculos de diálogo trabalham-se questões espinhosas, como o mau humor, a agressividade, o bullying, o desrespeito, as intimidações, entre outros assuntos que fazem parte da realidade dos participantes e que se pretendem superar.

No caso dos professores, desde o início da pandemia, a Secretaria de Educação tem trabalhado a questão da importância de se cuidar da saúde mental em tempos de incertezas, angustias e mudanças abruptas. Já com as crianças estão sendo abordadas as questões referentes à família e sua construção, visto que agora elas passam mais tempo em casa com seus pais e familiares. Pontos como o entendimento das emoções, o desenvolvimento da afetividade, da gratidão, da positividade diante dos fatos estão sendo essenciais para a manutenção do convívio harmônico e saudável na rotina de casa, seja para as crianças ou para os adultos.

Ajuda

Além desse espaço, a Secretaria de Educação está ajudando a divulgar o canal de apoio psicológico aos servidores municipais. Aqueles que precisarem podem recorrer ao 0800-400-1234. Neste telefone, o servidor encontrará oito psicólogos da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e duas profissionais residentes que ajudarão através da escuta acolhedora. O horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 7 às 19 horas.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios