Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Encontro será na quarta-feira (30), a partir das 14 h, sob a coordenação da Comissão de Direitos Humanos e Defesa da Cidadania da Câmara de Londrina

A intolerância com a população LGBTQI+ e a motivação dos assassinatos de dois homens no Centro de Londrina, ambos por esganadura e com um intervalo de menos de dez dias entre as mortes, serão tema de uma reunião pública convocada pela Comissão de Direitos Humanos e Defesa da Cidadania da Câmara Municipal de Londrina. O encontro será amanhã (30), das 14 às 16h30, na sala de sessões do Legislativo. Foram convidados para debater o assunto representantes de diversos órgãos de segurança (Polícia Científica, Polícia Militar, Polícia Civil, Instituto Médico Legal e Guarda Municipal), da Comissão de Direitos Humanos da OAB-Londrina, da secretaria municipal de Defesa Social, de entidades da sociedade civil além de movimentos ligados a população LGBTQI+. A reunião também será aberta à população com transmissão ao vivo pelo site www.cml.pr.gov.br e pelo canal da Câmara no Youtube.

Veja também:

UEL desenvolve bioinseticida contra o Aedes aegypti

Distrito de Maravilha recebe diversas melhorias

População debate mobilidade urbana em Londrina

Atividades em prol do Outubro Rosa animam servidoras municipais

Presidente da Comissão de Direitos Humanos, o vereador Professor Rony explica que o objetivo é chamar a atenção para os casos de possíveis mortes por homofobia na cidade. “Não acreditamos que a morte desses dois rapazes seja um crime comum, de latrocínio (roubo seguido de morte). Temos fortes razões para acreditar que possam existir outras motivações. Além disso, a cidade precisa entender quais são as provas fáticas da polícia, com laudos do IML e da Polícia Científica, que demonstram que foi mesmo o rapaz preso o autor dos dois assassinatos”, afirma Alves que dirige a Comissão composta ainda pelos vereadores Mario Takahashi (PV) e Felipe Prochet (PSD). 

Mortes

No dia 14 de outubro, o chefe de cozinha Fábio Ábila, de 49 anos, foi encontrado morto no Bosque Central, com um cadarço amarrado no pescoço e sem as calças. No dia 22, caso semelhante ocorreu na Praça Rocha Pombo, onde a polícia encontrou o corpo de Hannan Silva, de 21 anos, também com sinais de enforcamento. No dia 23, a Polícia Civil apresentou à imprensa o suspeito de ter cometido os homicídios, um rapaz de 21 anos, em situação de rua, chamado Fernando Inácio Andrade. Andrade teria confessado os dois assassinatos. Em entrevista à imprensa, o delegado-chefe de Londrina, Osmir Neves, disse que foram subtraídos pertences das duas vítimas e que o detido responderá por duplo latrocínio. Para o vereador Professor Rony, porém, é preciso olhar os casos com mais cuidado, para evitar uma subnotificação dos possíveis crimes de homofobia em Londrina.

Asimp/CML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios