Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná

Objetivo principal é orientar e solucionar problemas de usuários que porventura tenham ocorrido durante o processo do cadastro prévio da vacinação

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) implantou a Central de Validação de Cadastros da vacina contra a Covid-19. O objetivo é orientar os usuários e solucionar problemas que tenham ocorrido durante o cadastramento prévio da vacinação, iniciado em 6 de fevereiro.

A Central também fará análise de possíveis inconsistências nos cadastros dos profissionais e trabalhadores de saúde. Dentre elas, a verificação de campos específicos e obrigatórios, que varia conforme a categoria a ser vacinada, como registro de classe, para os profissionais da área, e dados das instituições que atuam em prol dos trabalhadores da saúde. A expectativa da Prefeitura é garantir a segurança e transparência desse processo.

A Central de Validação está em vigor desde terça-feira (9), atendendo das 8 às 17 horas, na sede da Pontifícia Universidade Católica (PUC) Londrina. O serviço conta com voluntários, que são alunos do curso de Medicina da universidade, e que estão sendo supervisionados e orientados pela equipe da SMS.

Como funciona

O usuário que identificar que forneceu algum dado incorreto no cadastro prévio da vacinação, como inserção do CPF errado, data de nascimento, telefone celular, nome da mãe, grupo a ser vacinado, ou qualquer outro equívoco, deve enviar um e-mail para cadastro.covid19@saude.londrina.pr.gov.br, solicitando a alteração.

Esse e-mail é recebido pela Central de Validação, que analisa se o cadastro precisa ser refeito. Na sequência, a equipe envia uma resposta para o e-mail do solicitante, com as devidas orientações. O secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, contou que os e-mails estão sendo respondidos no mesmo dia do envio ou, no máximo, no dia seguinte.

Machado explicou que determinados erros invalidam totalmente o cadastro, como CPF incorreto, nome do usuário, telefone celular, data de nascimento ou grupo prioritário errado. Nesses casos, o formulário deve ser refeito, e o cancelamento do primeiro cadastro é solicitado à Diretoria Tecnologia da Informação (DTI) da Prefeitura de Londrina.

Após o cancelamento, o cidadão poderá fazer um novo cadastro, dentro do prazo de 24 a 48 horas. Todas essas informações são repassadas por e-mail, para o solicitante da alteração. “Alguns casos, como a falta do preenchimento do número do Cartão Nacional da Saúde, não invalidam o cadastro, pois não é item obrigatório”, disse.

De acordo com a SMS, em apenas três dias, de 9 a 11 de fevereiro, a Central recebeu e reenviou cerca de três mil e-mails. O secretário municipal de Saúde orientou que as pessoas dos grupos prioritários preencham o cadastro com calma, para evitar esse tipo de erro. “Hoje, no período da manhã, temos 150 e-mails para serem respondidos. Todas as respostas serão enviadas ainda hoje, pois estamos em dia com as solicitações. Nesta sexta-feira (12), também estão sendo respondidos os e-mails que foram enviados ontem (11), após as 17 horas”, contou.

O cadastro prévio é a etapa inicial para que o cidadão possa receber a vacina contra a Covid-19. Após o preenchimento do formulário é feita a validação do cadastro e, num segundo momento, o usuário que tiver seus dados aprovados pode fazer o agendamento para o recebimento da dose da vacina, quando SMS abre oportunidade para isso.

O link para o cadastro prévio prossegue disponível no site da Prefeitura de Londrina, www2.londrina.pr.gov.br/sistemas/cadastrovacinacovid. Neste momento, ele é voltado a cadastrar profissionais e trabalhadores da saúde, que atuam em clínicas e laboratórios particulares, e os autônomos, como psicólogos, fisioterapeutas, dentistas, que ainda não se imunizaram, além de idosos com 60 anos ou mais.

Para os idosos, o agendamento está sendo feito por faixa etária e não por ordem de cadastro. Já para os profissionais e trabalhadores de saúde, o Município segue os critérios estabelecidos pelo Plano Nacional de Imunização.

Etapas do cadastro

Para se cadastrar, os profissionais e trabalhadores da saúde têm que fornecer seus dados pessoais e profissionais, que serão requeridos também no ato da imunização. E os idosos devem inserir seus dados pessoais e informações sobre sua condição de saúde, como: se são acamados (grupo que será imunizado em suas residências), e se têm condições de se deslocar para vacinação em drive-thru.

Após a efetivação do cadastro, o sistema mantém os usuários informados sobre o andamento do processo, desde a validação do cadastro até o agendamento do dia da imunização. No cadastro do usuário é possível verificar todas as informações do status da operação, que traz informações como “Aguardando Validação” e “Cadastro Validado”.

Depois que o cadastro é validado, o sistema gera um comprovante de inscrição contendo o QR Code, que deve ser apresentado no dia da vacinação. E quando a data da vacinação estiver disponível, é liberado o agendamento dos usuários validados, com lembretes enviados por mensagem SMS.

Os agentes Comunitários de Saúde vão utilizar tablets para fazer a leitura do QR Code de cada usuário, confirmando e validando o cadastro. Após a leitura do código, o sistema dará baixa no cadastro, evitando que a pessoa repasse o documento para outro indivíduo, impedindo qualquer tentativa de furar a fila da vacinação.

De acordo com as orientações da SMS, os idosos que não possuem acesso à internet e não contam com outra forma de auxílio, devem procurar a escola municipal mais próxima de sua residência para realizar seu cadastro. As equipes das unidades escolares estão orientadas para prestarem esse auxílio.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios