Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Um dos principais avanços do ano foi o lançamento da Fábrica – Rede Popular de Cultura, iniciativa que patrocina projetos de criação cultural nos bairros, distritos e patrimônios de Londrina

Em 2021, a Secretaria Municipal de Cultura (SMC) atuou com o objetivo principal de democratizar a cultura para todas as regiões de Londrina, contemplando especialmente as periferias e partindo dos potenciais da cultura para gerar qualidade de vida e renda.

Entre os principais avanços nesse sentido, esteve o lançamento do Programa Fábrica – Rede Popular de Cultura que selecionou, para patrocínio, projetos de oficinas de criação cultural nos bairros, distritos e patrimônios de Londrina. Os recursos, que totalizam o valor de R$ 600 mil, foram destinados a 18 projetos que receberam R$ 20 mil, cada; e seis projetos que foram contemplados, cada um, com R$ 40 mil. Entre as linguagens abrangidas pelo Programa Fábrica, estão artes plásticas, música, literatura, hip hop, fotografia, artesanato, cinema, dança e cultura popular.

A iniciativa é baseada em três pilares: a oferta de uma circulação cultural diversa e acessível, em locais de referência de todas as regiões da cidade; a realização de oficinas de criação cultural nas comunidades, bairros e escolas, visando enriquecer perspectivas e desenvolver a sensibilidade criativa; e o fomento aos projetos dos criadores culturais, selecionados em editais públicos.

O secretário municipal de Cultura, Bernardo Pellegrini, destacou que o Programa também promove a articulação de redes de ação cultural, a partir dos projetos aprovados no Promic. “Trata-se de um modo de ofertar a cultura como política pública. Esse modo, que vem sendo desenvolvido em Londrina ao longo de duas décadas, terá uma nova potência com a Fábrica, a caminho de se tornar referência nacional em gestão cultural municipal”, disse.

Promic

Depois de um período de paralisação em 2020, motivado pelos efeitos da pandemia de Covid-19, a SMC retomou os editais de fomento cultural do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic). Nessa retomada, a dotação orçamentária inicialmente prevista estava em torno de R$ 4,5 milhões, mas o investimento efetivo foi além desta previsão, totalizando aproximadamente R$ 4,8 milhões.

Foram abertos, no total, sete editais de fomento cultural mediante seleção de projetos, contabilizando R$ 3,84 milhões. Além disso, o programa também incluiu investimentos de R$ 600 mil, destinados ao Festival Internacional de Música de Londrina (FIML) e Festival Internacional de Teatro de Londrina (FILO). No edital voltado à continuidade do programa Vilas Culturais, foram investidos R$ 369.454, viabilizando oito vilas culturais e atendendo a diversas linguagens.

A quantidade de inscrições efetuadas no Promic foi recorde. Ao todo, 719 projetos foram inscritos nos sete editais disponíveis, dentre os quais 168 proponentes foram selecionados e entregaram todos os documentos requisitados, tendo sido contemplados com o patrocínio. Durante o período de inscrições, a SMC promoveu uma sequência de oficinas on-line e presenciais em comunidades, orientando sobre os editais e a elaboração de projetos. As atividades foram ministradas pelo coordenador do Programa Fábrica – Rede Popular de Cultura, Valdir Grandini, e pela equipe da Diretoria de Incentivo à Cultura da SMC.

Lei Aldir Blanc

Para 2021, havia um saldo remanescente previsto da Lei Aldir Blanc de pouco mais de R$ 200 mil. Porém, em setembro, uma avaliação jurídica da Prefeitura acenou que seria possível investir mais R$ 400 mil, em razão de impostos que não precisariam ser retidos, referentes ao edital anterior.

A Secretaria de Cultura, com aprovação e apoio do Conselho Municipal de Cultura, abriu novo edital, totalizando R$ 659 mil, para viabilizar incentivo a até 183 pessoas físicas, com recurso unitário bruto de R$ 3,6 mil para cada beneficiado.

O esforço conjunto entre a Secretaria e o meio cultural, que contou com muitos voluntários ajudando e orientando a participação dos artistas, resultou em 294 inscritos. Após o sorteio realizado para definição dos contemplados, 50% da vagas foram direcionadas para cotas, entre participantes autodeclarados negros, pardos e indígenas, que responderam por 97 inscrições. Todos os 183 selecionados receberam as bolsas em dezembro de 2021, após o esforço concentrado para viabilizar os pagamentos.

A SMC também realizou atendimentos e orientações para a participação da comunidade cultural nos editais municipais e estaduais relativos à Lei Aldir Blanc. A comunidade indígena foi especialmente atendida, e seis de seus representantes foram contemplados com bolsas no valor de R$ 3 mil, por meio do edital Bolsa Qualificação, do Governo Estadual. Projetos de proponentes indígenas também receberam um total de R$ 46,8 mil, por meio do “Londrina Faz História”, iniciativa da Secretaria Municipal de Cultura.

Apoio à atividade cultural

O período de pandemia, que impediu na maior parte do tempo a realização de atividades culturais presenciais, não parou o trabalho de estruturação e produção de ações realizado pela Secretaria Municipal de Cultura e sua Diretoria de Ação Cultural.

Durante todo o ano de 2021, a Ação Cultural realizou atendimentos remotos e presenciais em torno da Agenda Virada Cultural, semanalmente organizando e difundindo essa programação, e também promovendo diversas atividades e exposições virtuais. Em novembro, a SMC lançou seus perfis no Facebook e Instagram, visando ampliar a divulgação da agenda cultural de Londrina.

A Diretoria de Ação Cultural forneceu apoio direto à realização de 16 eventos em 2021, atendendo a solicitações de uso de espaços, sonorização e instalação de infraestruturas, bem como o acompanhamento das atividades. Isso resultou em um público total de 3.500 pessoas atendidas presencialmente, além dos 5.065 cidadãos que foram atendidos virtualmente.

A SMC também patrocinou ou apoiou a realização de diversos festivais, incluindo o Londrix 16 Anos, IX  Mostra de Música de Câmara, 9º Festival Hip Hopé Vermelho Londrina, Festival Kinoarte de Cinema, 36ª Mostra/Festival Cultural Afro-Brasileira e o 6º Festival CapStyle Graffiti, realizado em parceria com o Coletivo CapStyle, entre outros eventos.

Além disso, o trabalho da pasta viabilizou a realização de uma variada programação cultural de fim de ano, composta por 234 atividades, entre ações on-line e presenciais. Deste total, 193 atividades eram gratuitas, sendo 161 patrocinadas pelo Promic ou apoiadas pela SMC e outras 73 tendo outros patrocinadores. 

Patrimônio cultural

Uma grande conquista para a cidade foi o tombamento do Museu de Arte de Londrina como Patrimônio Cultural do Brasil, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Aprovado de forma unânime pelos 22 membros do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural do Iphan, o tombamento determinou a inscrição do edifício no Livro do Tombo das Belas Artes, concluindo um processo iniciado em 2011. Em 2020, o Município havia realizado uma série de intervenções no Museu de Arte, tendo investido R$ 1,2 milhão em um projeto de restauro.

No decorrer de 2021, a Diretoria de Patrimônio Artístico e Histórico-Cultural desenvolveu várias atividades voltadas à preservação da memória e história londrinenses. Uma das ações mais importantes é o acompanhamento da execução do projeto “Museu Histórico de Londrina Rumo aos 50 anos”, fomentado pelo Fundo de Preservação do Patrimônio, da Prefeitura de Londrina. A iniciativa é voltada ao registro e divulgação da memória e da coleção de jornais da Folha de Londrina, que estão sendo gradualmente digitalizados e disponibilizados para consulta pública.

Além disso, a Diretoria efetuou o acompanhamento da elaboração de projetos e execução de obras e serviços  em bens de interesse histórico. Entre elas, estão o projeto referente ao Teatro Funcart; as diretrizes para revitalização do trecho do Calçadão, no entorno do Teatro Ouro Verde, que é patrimônio histórico tombado; e o acompanhamento das intervenções realizadas no Bosque Marechal Cândido Rondon.

70 anos da Biblioteca Pública Municipal

A Biblioteca Pública Municipal, um dos espaços culturais mais importantes de Londrina, completou 70 anos em 2021, realizando uma programação especial que se estenderá também por 2022.

Como parte das comemorações, a Biblioteca ganhou um selo especial referente aos 70 anos, que virou camiseta e marca-páginas, além de ter recebido da Londrina Iluminação uma fachada especial com luzes. As celebrações também incluíram uma exposição fotográfica itinerante, concerto presencial de aniversário e diversas atividades e eventos on-line.

Além disso, a Biblioteca também permanece ativa nas redes sociais, tendo veiculado 358 postagens no Facebook em 2021, que receberam 11.437 curtidas, e 13 publicações no Instagram, que alcançaram 11,1 mil pessoas. No Youtube, o canal do órgão alcançou 38 mil visualizações. O tradicional Mural de Empregos também foi mantido em versão on-line, divulgando diversas oportunidades.

Em dezembro, a Biblioteca foi contemplada com um equipamento do Projeto Óculos Acessível – OrCam MyEye, através de iniciativa da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho (SEJUF). Trata-se de um dispositivo moderno de “óculos inteligente”, para auxílio a pessoas com deficiências visuais.

NCPML

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.