Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Objetivo do evento, que ocorre em 15 de junho, é propiciar uma troca de experiências, incentivando os participantes a aderir a práticas mais sustentáveis

A Secretaria Municipal do Ambiente (Sema), em parceria com a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), está com inscrições abertas para um bate-papo on-line sobre compostagem caseira. Realizado por meio da plataforma Google Meet, o encontro acontecerá no dia 15 de junho, a partir das 19h30. A reunião é aberta a todos os interessados, e quem desejar participar pode fazer suas inscrições, gratuitamente, por meio deste link.

Mediada pela gerente de Educação Ambiental da Sema, Mariza Pissinati, e pela professora-doutora e docente do curso de Engenharia Ambiental da UTFPR, Tatiane Dal Bosco, a roda de conversa contará com a presença de cinco londrinenses que mantêm composteiras em suas residências. Segundo Pissinati, o objetivo é propiciar uma troca de experiências, incentivando a audiência do evento a prosseguir com suas ações de compostagem ou aderir à prática. Além disso, o evento também é uma forma de comemorar o Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em 5 de junho.

“Convidamos pessoas da comunidade, que usam técnicas diversas, para falar sobre seus métodos, as dificuldades e soluções encontradas para a compostagem. Queremos mostrar que a compostagem pode ser feita por qualquer cidadão, com recursos simples, e o público da live é muito bem-vindo para participar com perguntas e comentários”, disse.

Sustentabilidade – A compostagem caseira é uma maneira de reaproveitar resíduos orgânicos, como cascas de frutas, alimentos estragados e restos de jardinagem. Após decompostos, esses materiais podem ser utilizados como adubo para outras plantas, tanto na forma de compostos sólidos quanto como biochorume. Entre os benefícios trazidos por essa prática, estão a destinação sustentável de resíduos, o uso de fertilizantes não-industrializados e a economia de recursos financeiros.

A gerente de Educação Ambiental da Sema explicou que, no contexto da pandemia, cada vez mais pessoas têm se interessado pela compostagem, por passarem mais tempo no ambiente doméstico. “Aumentou muito o número de cursos on-line sobre esse tema, e a população têm participado ativamente. Por isso, além de incentivar a adoção dessa prática, queremos entender quem são as pessoas que fazem compostagem em Londrina, até porque essas ações estão inclusas no Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS)”, frisou Pissinati.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.