Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Em assembleias realizadas  pela Assuel ontem, 4, no Hospital Universitário (HU) e Campus, a maioria dos servidores da UEL, optaram voltar ao trabalho, mas manter o estado de greve.

Isso significa que, dependendo dos resultados da votação  dos  projetos que mexem com a aposentadoria dos servidores,  pelos deputados em Curitiba, outra assembleia poderá ser convocada a qualquer momento para se definir pela greve novamente.

Vergonha

Para o presidente da Assuel, Arnaldo Mello, o fato dos deputados irem de camburão para a Ópera de Arame para votar os projetos é uma vergonha, ¨A população tem de marcar bem o nome dos deputados que estão votando contra  os trabalhadores para não reeleger nas próximas eleições", disse.

Elsa Caldeira/Asimp/Assuel Sindicato

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios