Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Acesso Digital e Arbo Imóveis usarão os recursos para escalar os negócios, criar novos produtos e gerar empregos em Londrina

Duas startups londrinenses, clientes do Sebrae/PR, receberam aporte de investimentos que somam R$ 600 milhões em 2020. A Acesso Digital, que oferece soluções de autenticação de identidade digital, e a Arbo Imóveis, plataforma que engloba todas as etapas de venda e locação de imóveis, usarão os recursos para escalar os negócios, com a contratação de mão de obra local e desenvolvimento de novos produtos e serviços.

A relação do Sebrae/PR com a Acesso Digital começou na época em que a empresa ainda era a startup Arkivus, incubada na Incubadora Internacional de Empresas de Base Tecnológica da Universidade Estadual de Londrina (Intuel), há 13 anos.

O negócio foi criado para oferecer solução digital eletrônica de documentos e recebeu consultorias do Sebrae/PR e atendimento pelo programa Agente Local de Inovação (ALI). Quando a startup criou a solução de biometria facial despertou a atenção da Acesso Digital e foi incorporada pela empresa, com sede em São Paulo.

O diretor de tecnologia da Acesso Digital, Marcelo Zanelatto, confirma o papel da instituição para o crescimento do negócio. “O Sebrae nos trouxe fundamentos importantes no início, ajudou na organização e planejamento estratégico. Sem isso, duvido que teríamos chamado a atenção da Acesso Digital”, justifica.

Hoje, a Acesso Digital possui clientes em todo o Brasil. São bancos, fintechs, financeiras, redes varejistas e, recentemente, até empresas da área da saúde que passaram a atuar com telemedicina por conta da pandemia. O primeiro aporte financeiro recebido pela empresa chegou no início do ano, por meio da Igah Ventures (antiga e.Bricks Ventures), no valor de R$ 40 milhões. O principal objetivo, de acordo com Zanelatto, é escalar o negócio com o lançamento de novos produtos.

Ele conta que, até 2016, a Acesso Digital era uma empresa mais focada em vendas do que na tecnologia. E aí os sócios resolveram “virar a chave” e decidiram não focar apenas em um produto, mas em vários deles em níveis escaláveis para que crescessem mais rápido e aumentassem o potencial de faturamento. Hoje, a IDTech oferece soluções de autenticação digital que incluem reconhecimento facial, admissão à distância e assinatura eletrônica.

Zanelatto explica que a pandemia valorizou os serviços, uma vez que empresas passaram a contratar remotamente e assinar documentos de forma digital. Isso chamou a atenção de investidores. O segundo aporte, no valor de R$ 580 milhões, veio dos fundos General Atlantic e SoftBank Latin America Fund.

Parte dos recursos serão investidos na contratação de pessoas, principalmente nas áreas de engenharia, tecnologia, marketing e vendas para escalar os novos produtos.  As vagas serão lançadas no site da empresa e podem ser acessadas aqui.  O investimento também será aplicado na aquisição de empresas que fazem sentido para o negócio, que trabalha com a identificação de pessoas através da tecnologia para desburocratizar a relação entre pessoas e empresas, com foco na privacidade.

Primeiro aporte da Arbo

Manoel de Oliveira Neto e Marlon Pascoal, sócios da Arbo Imóveis, que recebeu o primeiro aporte de investimentos da história da empresa neste ano - Foto: Ohanna Dias.

Também “nascida” como startup, mas do setor imobiliário, a Arbo Imóveis comemora o primeiro aporte de investimentos desde sua criação, em 2017. A transação, de mais de R$ 20 milhões, foi feita com a DOMO Invest e o Grupo Anjo, formado pela Target Ventures, CS Participações e M2 participações. O co-fundador e CTO da empresa, Marlon Pascoal, conta que a Arbo dobrou de tamanho nos últimos três meses e hoje emprega 42 pessoas em Londrina. “Triplicamos o número de clientes”, comemora.

O negócio é especializado na digitalização do trabalho de incorporadoras, imobiliárias e corretores autônomos e o faturamento está atrelado às comissões recebidas pelas transações imobiliárias. Pascoal explica que a Arbo oferece o marketing para a venda e o sistema para as empresas e cobra pelo serviço. Só que a transação de um imóvel demora cerca de três meses e leva mais um tempo para o pagamento. “Invisto hoje para receber amanhã. Por isso, dependemos desse aporte de investimentos para crescer”, justifica.

A empresa, que participa do programa Tração, do Sebrae/PR, pretende aplicar os recursos na contratação de pessoal e estruturação do negócio, além de ampliar a operação para outros estados. As novas vagas podem ser acessadas pelo link. A Arbo já atua no Paraná, São Paulo, Santa Catarina e Espírito Santo.

O consultor do Sebrae/PR, Eduardo Ribeiro Bueno Netto, destaca que as empresas são cases inspiradores para o mercado. “São empreendedores focados em crescer exponencialmente, que possuem alta capacidade de inovação”, avalia.

Asimp/Sebrae/PR

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios