Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Vivian Feijó participou da sessão ontem (19). Segundo ela, o HU recebeu R$ 3,2 milhões do Município para o enfrentamento da pandemia

Cerca de um mês após a Câmara Municipal de Londrina aprovar o repasse de R$ 20 milhões do fundo do Legislativo para a Prefeitura utilizar no enfrentamento ao novo coronavírus, a diretora-superintendente do Hospital Universitário (HU), Vivian Feijó, falou sobre o uso de parte do dinheiro para a implantação de um "hospital de campanha" destinado a pacientes com covid-19. Feijó participou da sessão ordinária remota de ontem (19) a convite da Mesa Executiva. Segundo ela, o HU recebeu até o momento R$ 3,2 milhões de suplementação do Município para o enfrentamento da pandemia, no dia 23 de abril. "Felizmente estamos conseguindo comprar muitos itens para o hospital. Compramos, por exemplo, 50 camas hospitalares. Mas há um grande conjunto de arsenal médico necessário", exemplificou a superintendente, ao explicar os encaminhamentos já feitos para viabilizar o hospital.

O objetivo é que a unidade ofereça 120 leitos, na ala que havia sido construída para ser a Maternidade do HU e no espaço de ampliação do Pronto-Socorro. De acordo com Vivian Feijó, até o momento foram destinados R$ 3,5 milhões em investimentos para o hospital, que ficará como um legado para a cidade após a pandemia. "Utilizamos a expressão Hospital de Retaguarda, porque hospital de campanha é algo que montamos e depois desmontamos. O nosso entendimento é que a estrutura não vai ser desmontada", disse. A superintendente informou que, no início da pandemia, o HU contava com 297 leitos, 41 deles de UTI. Após o hospital ser escolhido pela Secretaria Estadual de Saúde para atuar como referência no atendimento de casos de covid-19, no início de fevereiro, houve uma ampliação para 327 leitos, 79 deles de UTI. Com a implantação do Hospital de Retaguarda, o total de leitos chegará a 447.

Repasse

No dia 15 de abril, a Câmara aprovou em última discussão o projeto de lei (PL) da Mesa Executiva nº 49/2020, que repassa R$ 20 milhões do fundo especial de reforma do prédio do Legislativo para a Prefeitura utilizar no combate à covid-19. Por meio de um requerimento enviado à Prefeitura, a Câmara solicitou que, do total repassado, R$ 5 milhões fossem destinados ao HU, com o objetivo de auxiliar na implantação do Hospital de Retaguarda para a Covid-19. "Aguardamos que um esforço seja feito para o repasse do valor restante, de R$ 1,8 milhão. Vamos deixar esse legado para a cidade de Londrina por décadas", ressaltou durante a sessão o vereador Eduardo Tominaga (DEM).

Para o vereador Vilson Bittencourt (PSB), embora a instalação do Hospital de Retaguarda demore mais do que o que a população gostaria, é preciso entender que os procedimentos demandam tempo. "A gente sabe da demora de licitações, mesmo com a possibilidade das mais diversas abreviações de prazos", destacou.

Asimp/CML 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios