Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Prefeito Marcelo Belinati sancionou Lei aprovada pela Câmara e novo decreto com a tarifa reduzida de R$ 4,25 para R$ 4,00

Na noite de sábado (8), o prefeito Marcelo Belinati sancionou a Lei Municipal nº 13.340, de 8 de janeiro de 2022, reduzindo de imediato o valor da passagem do transporte coletivo de Londrina para R$ 4,00. Ato sequente, o chefe do Poder Executivo assinou também o Decreto Municipal nº 15, de 8 de janeiro de 2022, com o novo valor da tarifa reduzida de R$ 4,25 para R$ 4,00.

Os documentos forão publicados na edição de ontem (10), do Jornal Oficial do Município, por isso, a nova tarifa de R$ 4,00 passará a valer a partir desta terça-feira (11). Pelas redes sociais, o prefeito fez questão de falar que a tarifa de ônibus ao invés de subir para R$ 10,00, baixou para R$ 4,00. “Acabo de assinar aqui, no gabinete da Prefeitura de Londrina, a lei aprovada pela Câmara que impede que a passagem de ônibus suba e abaixa ela para R$ 4,00. Os usuários do transporte coletivo vão dormir mais tranquilos, sem a tensão provocada pelo pedido exagerado das empresas, para jogar nas alturas o preço da tarifa do transporte de passageiros”, declarou.

O prefeito disse acreditar, ainda, que o alto preço reivindicado faria com que milhares de famílias passassem a andar a pé, pois não teriam dinheiro para pagar uma passagem tão cara. ”Felizmente, a notícia tranquiliza a todos. Nosso projeto foi aprovado. Diferente de mais de 5.000 municípios brasileiros, onde a passagem de ônibus vai subir nos próximos dias; em Londrina, não. Aqui não vai subir e, ainda, vai ficar um pouco mais barato”, comentou.

Câmara de Vereadores

Na noite de sábado (8), a Câmara Municipal de Londrina (CML) aprovou, em segundo e último turno, o Projeto de Lei (PL) nº 4/2022, de autoria do prefeito Marcelo Belinati. O projeto foi aprovado com 13 votos favoráveis e seis contrários.

Lei tem grande alcance social – Além de abaixar o valor da tarifa, a Lei Municipal nº 13.340 tem grande alcance social, visto que a Prefeitura de Londrina pagará a passagem de pessoas mais vulneráveis economicamente, para que elas continuem usando o serviço do transporte coletivo.

São elas:
• Pessoas com Deficiência e acompanhantes
• Idosos
• Pessoas com Câncer Maligno que fazem tratamento
• Aposentados por invalidez
• Renais Crônicos que fazem hemodiálise
• Pessoas com AIDS
• Pessoas com problemas Crônicos de saúde que precisam de fisioterapia
• Crianças e adolescentes que necessitem de educação especializada, e acompanhantes
• Crianças e Adolescente em situação de pobreza que frequentem serviços socioeducativos/assistenciais pra aprender uma profissão
• Forças de Segurança (Polícia Militar, Guarda Municipal) e Tiro de Guerra
• Agentes de Saúde; dentre outros

Antes, o valor da passagem dessas pessoas era pago pelos usuários do transporte coletivo, visto que o custo estava embutido na tarifa, sendo R$ 0,25 mais cara, em razão das gratuidades. Agora, ao invés de estar na tarifa e ser pago pelo usuário do transporte, o valor será quitado pela Prefeitura de Londrina. Isso possibilitou a redução do preço do transporte coletivo. “Isso vai beneficiar os trabalhadores, as famílias e os empresários que pagam o vale transporte, dentre tantas outras pessoas. O projeto também coloca como prioridade o pagamento do salário dos motoristas e funcionários das empresas de ônibus. Esse é o projeto que virou lei. É benefício para toda cidade”, concluiu o prefeito Marcelo Belinati.

NCPML

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.