Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Doses de reforço serão fornecidas para crianças de 1 ano até 5 anos de idade incompletos, em cinco pontos de atendimento; campanha encerra dia 30

No próximo sábado (28), a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) promove a última ação especial para vacinar as crianças de Londrina contra a poliomielite. Das 8h às 17h, quatro Unidades Básicas de Saúde (UBSs) mais a Super Creche (CMEI Valéria Veronesi) estarão abertas exclusivamente para atender a população e aplicar as doses, que são de reforço, em crianças com mais de um ano e menores de cinco de idade.

Para facilitar ainda mais a imunização, que é via oral, rápida e simples, não há necessidade de agendamento prévio. Basta os pais, mães ou responsáveis comparecerem aos postos indicados levando a carteirinha de vacinação da criança.

Com menos de uma semana para o encerramento da campanha, que termina na segunda-feira (30), essas são as últimas oportunidades de acesso à dose de reforço da vacina. Apesar dos esforços realizados pela SMS, entre ações ampliadas e divulgação, apenas 57% da cobertura vacinal foi alcançada em Londrina, que teve aplicação de 15.146 doses, até o momento, dentre as 26.264 que foram disponibilizadas pela Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (SESA/PR). Isto significa que mais de 10 mil crianças ainda não foram imunizadas.

Na ação deste sábado (28), todas as regiões da cidade terão um ponto de atendimento disponível. Além da Super Creche, na região central, os locais definidos são a UBS Aquiles Stenghel (norte), UBS Jardim Piza (sul), UBS Marabá (leste) e UBS Alvorada (oeste).

A diretora de Vigilância em Saúde, da SMS, Sonia Fernandes, alertou as famílias sobre a importância da vacina contra a poliomielite, reforçando o chamado para que as crianças sejam vacinadas. “Não deixem de levar seus filhos para receber a vacina, pois é a única forma de prevenir a paralisia infantil, uma doença grave e sem tratamento. A aplicação oral por gotinhas dura menos de um minuto, sendo simples e indolor. A vacina é segura, eficaz e traz apenas benefícios a todas as crianças imunizadas. Apesar de ser considerada uma doença erradicada no Brasil, a prevenção e o controle devem ser permanentes, exatamente para evitar que esse vírus volte a infectar as pessoas”, destacou.

Fernandes ressaltou que os atendimentos estão sendo facilitados de todas as formas, para que as pessoas procurem um dos locais de referência durante a ação ampliada. “A adesão, infelizmente, tem sido baixa na cidade. Por isso, mais uma vez abrimos um dia extra com faixa extensa de horário e unidades em diferentes regiões funcionando para essa finalidade. Não é necessário agendar horário. No entanto, todas as medidas de segurança referentes aos protocolos de saúde do novo coronavírus serão devidamente respeitadas”, completou.

Locais de atendimento

CMEI Valéria Veronesi (Super Creche) – Rua Benjamin Constant, 800, centro

UBS Aquiles Stenghel – Rua Vergílio Perin, 815, zona norte

UBS Jardim Piza – Rua Veneza, 546, zona sul

UBS Marabá – Rua das Goiabeiras, 385, zona leste

UBS Alvorada – Rua Poços de Caldas, 85, zona oeste

Vacinação

As doses contra a paralisia infantil também são diariamente aplicadas em Londrina, mediante agendamento, no Centro de Imunização, instalado na Super Creche, de segunda a sexta-feira, das 14h às 20h. Outros pontos disponíveis, também com hora marcada, são as UBSs de Londrina, com exceção das seis unidades que estão atendendo exclusivamente pacientes com suspeitas de síndromes respiratórias (Jardim Guanabara/Centro; Bandeirantes/Oeste; Ouro Branco/Sul; Chefe Newton e Maria Cecília/Norte; e Vila Ricardo/Leste).

Para alguns dos locais, é possível que não haja mais horários disponíveis. A lista com os endereços e números telefônicos de todas as UBSs de Londrina pode ser acessada aqui (https://saude.londrina.pr.gov.br/index.php/unidade-basica-saude.html).

Poliomielite

Conhecida também como paralisia infantil ou pólio, a poliomielite é uma doença infectocontagiosa, grave e que afeta o sistema nervoso, podendo provocar paralisia parcial ou irreversível, e até mesmo levar à morte. Atinge, principalmente, crianças com até quatro anos de idade, mas também pode acometer adultos que não foram vacinados. Por isso, é fundamental que todas as crianças de até cinco anos sejam imunizadas.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios