Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná

Lenir de Assis enviou correspondência aos religiosos destacando a necessidade de medidas preventivas contra o novo coronavírus

“Pedimos aos senhores padres que - por ocasião das celebrações sensíveis às dores de Jesus nesses dias - possam alertar os fiéis sobre a gravidade do momento enfrentado nesse tempo pascal, conscientizando sobre a necessidade de cuidados básicos que podem salvar vidas e evitar a necessidade de utilização de leitos hospitalares.” Esse trecho compõe uma carta que a vereadora Lenir de Assis, do Partido dos Trabalhadores, enviou a padres de Londrina.

Na carta, a vereadora lembra que o Brasil registra mais de 320 mil mortes por Covid-19, com recorde diário de mortes, tendo sido registrado 3.950 mortes em 24 horas. Em Londrina, 979 pessoas perderam a vida (até 31/03) e 45.794 adoeceram por causa da Covid-19. “Solidarizamo-nos a todas as famílias que perderam alguém querido – parente ou amigo. Muitos dos nossos partiram.”

A vereadora ressalta a capacidade de atendimento na área de saúde, que chegou ao limite, tornando a situação ainda mais grave por causa das mutações do vírus. “É sabido das muitas falhas na gestão pública no controle da pandemia, na fiscalização das regras editadas, bem como na falta delas e na lentidão pela busca por vacinas”, afirma Lenir de Assis. “Se não bastasse isso, há a circulação de notícias falsas e atitudes que geram grande desserviço.”

Entre as medidas para evitar o avanço da pandemia, destacadas pela vereadora, estão o uso constante de máscara, a higienização das mãos, evitar saídas que não sejam necessárias, evitar aglomeração de pessoas, mesmo de dentro de casa, mantendo o necessário isolamento social. “É urgente reduzir a circulação de pessoas pelas ruas para que se reduza a circulação do vírus”, reforça Lenir de Assis.

Conforme a parlamentar, as organizações sanitárias do mundo todo recomendam que para desacelerar a proliferação do vírus é imprescindível uma paralisação total das atividades não essenciais, o que certamente reduziria, também, a procura por atendimento nos serviços de saúde. “É fundamental exercer nosso direito como cidadão e cidadã e lutar por vacina rápida e gratuita a toda população, bem como a proteção e o amparo às famílias necessitadas.”

Reinaldo C. Zanardi/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios