Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Pedido será enviado ao prefeito e ao governador, por meio de Indicação da Prof.ª Sonia Gimenez

A Câmara de Londrina aprovou na sessão da terça-feira (13) a Indicação nº 2.655/2021, da vereadora Prof.ª Sonia Gimenez (PSB), que sugere ao governador Ratinho Júnior (PSD) e ao prefeito Marcelo Belinati (PP) a liberação de até 30% do público em eventos culturais, como shows, teatros e cinemas, desde que as pessoas estejam vacinadas contra a covid-19. Conforme sugestão da parlamentar, os protocolos da Organização Mundial da Saúde (OMS) e de outras entidades públicas de saúde deverão ser mantidos e os participantes deverão obrigatoriamente apresentar carteira de vacinação para ingressar nesses espaços. Na sessão do último dia 6, os vereadores já haviam aprovado indicação semelhante, também de Gimenez, solicitando permissão parcial de público em eventos esportivos, sob as mesmas condições.

Sonia Gimenez defende que seja permitida a entrada apenas das pessoas que já apresentem o quadro vacinal completo contra a covid-19. De acordo com a Prefeitura de Londrina, nesta semana o município ultrapassou a marca de 100 mil pessoas imunizadas com as duas doses da vacina ou com a dose única. "Nós entendemos que é bom para aqueles que gostam de participar de eventos culturais, bom para os torcedores - no caso dos esportes -, bom para os dirigentes, os organizadores, os times e para aqueles que trabalham no setor", afirmou.

Votou contrariamente à Indicação nº 2.655/2021 a vereadora Lenir de Assis (PT) e se abstiveram os parlamentares Matheus Thum (PP) e Santão (PSC). "Eu gostei muito do texto da vereadora Sonia, mas entendo que deveria ser apresentado também o teste negativo de covid, assim como está sendo feito nos países da Europa, na Eurocopa. Apresenta-se o teste de covid e a vacinação para poder ingressar nos estabelecimentos", afirmou Thum. O vereador Santão (PSC), por sua vez, disse ser contrário a passaportes sanitários.

Ao justificar o voto contrário, a vereadora Lenir de Assis afirmou que esse ainda não é o momento de flexibilizar as medidas de contenção da doença. A vereadora também chamou a atenção para a diversidade de espaços culturais existentes na cidade, com ambientes que comportam um número grande de pessoas e que, mesmo com a limitação, poderiam registrar aglomerações. "Quero deixar claro o meu respeito a toda a comunidade artística de Londrina, que sem dúvida está sofrendo muito. Mas eu tenho mantido a minha postura de olhar para os hospitais, para as condições de tratamento das pessoas acometidas pela covid-19. E ainda estou extremamente preocupada, porque a situação ainda não está tranquila. E nesse caso nós temos os mais variados espaços em Londrina. Londrina é um celeiro cultural e nós abrigamos aqui espaços para poucas pessoas e para muitas pessoas. Por isso não me sinto confortável", disse.

Previstas no Regimento Interno, as Indicações apresentadas por escrito e submetidas à aprovação plenária têm a função de sugerir ato administrativo ou de gestão aos órgãos públicos estaduais ou federais. Esse tipo de proposição também é utilizado para solicitar que o Executivo Municipal envie projetos de lei sobre matérias de exclusiva competência do prefeito.

Marcela Campos/Asimp/CML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios