Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Secretaria Estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest) expediu resolução antecipando o período de defeso (proibição da pesca) para algumas espécies nativas de peixes na bacia hidrográfica do Rio Paraná. A medida atende pedido formulado pelo Ministério Público do Paraná, por meio do núcleo de Maringá (no Norte-Central do estado) do Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente, Habitação e Urbanismo (Gaema), e antecipou para o dia 15 deste mês o começo da proibição, que teria início apenas no dia 1º de novembro.

A Resolução 052/2020 da Sedest estabeleceu o defeso antecipado para as seguintes espécies: mandi amarelo, pintado, mandi prata, piracanjuva e jaú. O objetivo é proteger os peixes em função da sua vulnerabilidade diante de condições ambientais atípicas (devido à prolongada estiagem), que fazem com que eles possam ser acidentalmente capturados – as condições climáticas atuais têm adiantado a época da piracema (nome que se dá à migração dos peixes que sobem em direção às cabeceiras dos rios para desovar). Resolução do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) já estabelece a proibição da pesca de 1º de novembro a 28 de fevereiro, para preservação das espécies na época da reprodução.

O pedido de antecipação foi apresentado pelo Gaema a partir do recebimento de informações de que a piracema tem acontecido antes do período de proibição, o que estaria causando prejuízo à manutenção da fauna nos rios da bacia hidrográfica do Rio Paraná.

Asimp/MPPR

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.