Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Município vive epidemia da doença, com quase 6 mil casos. Coordenado pela Comissão de Seguridade Social, debate será em 16 de março, às 19 h

A Câmara Municipal de Londrina (CML) realizará audiência pública no dia 16 de março (segunda-feira), às 19 horas, para debater a epidemia de dengue em Londrina, que deve ser a pior da história do município segundo declarações dadas neste ano pela Diretoria de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde. O último boletim divulgado pela secretaria, ontem (5), apontou que Londrina já tem 5.786 casos confirmados da doença em 2020, o equivalente a 1.015 casos para cada 100 mil habitantes. A situação de epidemia é caracterizada quando a proporção ultrapassa 300 casos para cada 100 mil. A audiência será coordenada pela Comissão de Seguridade Social da CML e ocorrerá na sala de sessões da Câmara, com transmissão on-line pelo site do Legislativo e o canal da CML no Youtube.

O objetivo do debate é verificar se há servidores em quantidade suficiente para combater e amenizar a incidência da doença e se as ações de prevenção e controle estão adequadas ou se precisarão ser revistas. "A situação está se agravando a cada dia. De julho de 2019 até agora, já foram constatadas 30 mortes por dengue [no estado]. Vamos ouvir a população de Londrina, as igrejas, os sindicatos, a Universidade Estadual de Londrina, todos os segmentos", explicou o vereador João Martins (PSL), presidente da comissão. Além do parlamentar, compõem o grupo os parlamentares Jamil Janene (PP), como vice-presidente, e Jairo Tamura (PL), como membro.

Além do secretário municipal da Saúde, Felippe Machado, serão convidados a falar sobre o tema a Promotoria do Meio Ambiente de Londrina e professores do Centro de Ciências Biológicas da Universidade Estadual de Londrina  (UEL). Posteriormente, todos os presentes que tiverem interesse poderão se pronunciar, mediante inscrição. O público também poderá protocolar sugestões por escrito, durante a audiência ou até as 19 horas do dia seguinte, no setor de Protocolo da Câmara de Londrina.

Multa

Para tentar conter os casos da doença no município, o secretário de Saúde afirmou nesta quinta (6) que os donos de imóveis com focos do mosquito da dengue poderão ser multados em Londrina. O anúncio foi feito em coletiva de imprensa e na sessão ordinária da Câmara Municipal. Convidado pelo vereador João Martins para falar sobre a epidemia, Felippe Machado disse que um decreto será publicado pelo Executivo para regulamentar uma lei de 2002 relacionada à aplicação de penalidades aos munícipes que não cuidam dos seus terrenos e de suas casas. "Esse decreto regulamenta a multa, em graduação, de acordo com o tipo e a quantidade de focos. Também regulamenta a utilização de drones pela Prefeitura para fazer a fiscalização. Vamos começar por quase 400 pontos visitados reiteradamente por nossos agentes de endemias, como ferros-velhos e pátios de empresas", disse. O decreto disciplinará ainda a entrada forçada em imóveis, no caso de recusa do proprietário ou de abandono da área.

Marcela Campos/Asimp/CML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.