Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Estudo feito pelo Instituto Trata Brasil mostra que entre as 11 melhores há cinco municípios paranaenses. Londrina aparece em ao 4o lugar

Curitiba é a capital com os melhores indicadores de saneamento do país, de acordo com o Ranking do Saneamento das 100 maiores cidades do Brasil. A análise dos dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), ano-base 2013, divulgada nesta terça-feira (28), foi feita pelo Instituto Trata Brasil, que avaliou os serviços de água e esgoto dos 100 maiores municípios do país em termos de população, em parceria com a GO Associados.

Maringá continua ocupando o segundo lugar no ranking e todas as demais cidades paranaenses incluídas no estudo e atendidas pela Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) subiram posições em relação ao levantamento anterior, com dados de 2012.

Na classificação geral, entre as 100 maiores cidades, Curitiba ocupava a 9ª posição, agora saltou para o 5º lugar. Londrina, que ocupava a 13a posição no levantamento anterior, passou ao 4o lugar. Ponta Grossa era a 11a colocada quando considerados os dados de 2012. Com o novo estudo, ela subiu para a 8a colocação. Cascavel, que estava na 27a posição, agora ocupa a 11a. Foz do Iguaçu melhorou 14 posições. Estava na 40a e agora está na 26a. São José dos Pinhais estava na posição 61 e agora subiu para o 51º lugar.

“O resultado do Trata Brasil reflete o trabalho consistente da nossa equipe na área de planejamento, os investimentos que temos feito de maneira progressiva a cada ano e a operação dos sistemas de água e de esgoto, com muitos avanços na qualidade dos nossos serviços. A equipe da Sanepar trabalha fortemente para manter os índices de atendimento com água tratada e, especialmente, ampliar e implantar serviços de coleta e tratamento de esgoto”, afirma o presidente da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), Mounir Chaowiche.

No país, a média nacional de atendimento com água tratada é de 82,5%. A média brasileira de coleta de esgoto é de 48,6% e a de tratamento é de 39%. Para compor o Ranking, o Instituto Trata Brasil utiliza os dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), vinculado à Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades.

A partir destas informações, o instituto aplica critérios próprios para a elaboração de seus indicadores. Entre as variáveis estão população, fornecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, investimentos, entre outras.

Giovanna Galleli/Asimp/Sanepar

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios