Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A ação garantiu mais 200 mil lambaris na Bacia Hidrográfica do Rio Tibagi. O evento aconteceu na tarde deste domingo (28), com a participação da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Primeiro de Maio.

O recurso arrecadado na competição de pesca TS Extreme, em Primeiro de Maio, no Norte do Estado, neste final de semana, será encaminhado para três associações que cuidam de crianças especiais. Pela primeira vez, a competição contou com apoio do Governo do Estado, através do Programa Rio Vivo, e envolveu os alunos na soltura de peixes e plantio de mudas de árvores nativas.

A ação garantiu mais 200 mil lambaris na Bacia Hidrográfica do Rio Tibagi. O evento aconteceu no domingo (28), com a participação da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Primeiro de Maio.

A instituição, juntamente com a Apae de São Sebastião da Amoreira e a Associação Flávia Cristina de Londrina, receberá o montante de R$13,5 mil, valor arrecadado pelos ingressos das 50 embarcações participantes. O Rio Vivo é uma ação da Superintendência da Pesca e Bacias Hidrográficas do Paraná, vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest).

“O programa não se trata apenas de soltar os peixes na água. A comunidade participa desse repovoamento dos rios, aprendendo a importância da conservação da fauna aquática e também ajuda a plantar mudas de árvores nativas no entorno do rio. É um programa completo de educação ambiental”, destaca o secretário Márcio Nunes.

Repovoamento

As regras para o repovoamento das Bacias Hidrográficas do Paraná, com normas de estocagem e repovoamento, foram definidas neste ano, através da Resolução Conjunta Sedest/IAT nº 10/2021. Para o presidente da Associação de Pesca Esportiva Tucuna Solidário (Apets), José Almeida, a junção da pesca esportiva com o repovoamento dos rios era bastante aguardada pela equipe.

“Um sonho realizado. É um programa muito bem-visto, não apenas pelos pescadores esportivos, mas também pela sociedade. As crianças da Apae interagiram muito com essa novidade, o contato com a natureza e os peixes”, disse. “É muito importante criar essa cultura de preservação e que as crianças vejam de perto essa atitude de pescar a soltar”, completou Almeida.

Até o final da temporada de verão, devem ser soltos mais de 2,6 milhões de peixes adquiridos pelo Programa Rio Vivo. Destes, 870 mil já foram soltos nas bacias hidrográficas do Paraná, Iguaçu, Paranapanema e Ivaí.

TS Extreme

O campeonato de pesca acontece desde 2015, com duração de aproximadamente oito horas. Os competidores precisam pescar e soltar o peixe, após filmar a medição do seu tamanho em uma régua oficial entregue pelos organizadores. Os participantes têm uma senha para participar do evento, que neste ano recebeu o nome do Programa Rio Vivo.

Daniele Iachecen/Asimp/Secretaria de  Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.