Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Empresa promove neste mês a soltura de 450 mil peixes nas áreas dos reservatórios das usinas Taquaruçu, Capivara e Rosana

A CTG Brasil, uma das líderes em geração de energia limpa no País, promove entre os dias 12 e 16 de abril a soltura de 450 mil peixes das espécies Pacu, Piapara, Curimbatá e Lambari nos reservatórios das usinas hidrelétricas Taquaruçu, Capivara e Rosana, operadas pela empresa, no rio Paranapanema.

Com a ação, a CTG Brasil atinge a marca de 1.250 milhão de peixes soltos no rio Paranapanema somente neste ano - entre janeiro e fevereiro, já havia promovido a soltura de 800 mil peixes.

“Preservar o meio ambiente está entre as nossas prioridades. Por isso, e também reconhecendo a importância da água como recurso renovável para toda a sociedade e para a geração de energia limpa nas nossas usinas, promovemos diversas ações com foco na proteção da biodiversidade e no desenvolvimento sustentável”, explica Rogerio Marchetto, gerente de Meio Ambiente da CTG Brasil.

Serão cinco solturas neste mês, começando Hoje, dia 12 por Porecatu, no Clube Sol Nascente, e dia 13, em Itaguajé, no condomínio Renascer do Sol (áreas do reservatório de Taquaruçu); dias 14 e 15, em Cândido Mota, no condomínio Águas Claras, e Balneário Municipal de Primeiro de Maio (áreas do reservatório de Capivara); e dia 16, na Pousada Pouso do Garça, em Teodoro Sampaio, área do reservatório de Rosana.

Devido à pandemia de Covid-19, as solturas estão sendo conduzidas apenas por profissionais da área de Meio Ambiente da empresa, sem a participação de alunos ou da comunidade.

A ação faz parte do Programa de Manejo e Conservação da Ictiofauna, realizado pela CTG Brasil com o objetivo de repovoar e garantir a diversidade de peixes por meio da produção e soltura de espécies nativas. As solturas são autorizadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Os peixes são produzidos na Piscicultura da CTG Brasil, em Salto Grande (SP). No laboratório, além da produção de peixes, são desenvolvidas pesquisas em parceria com universidades. Desde o início do programa, mais de 36 milhões de peixes foram soltos nas bacias dos rios Paraná e Paranapanema.

Aimp/ CTG Brasil

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios