Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Companhia também proporciona palestra ambiental e recebe estudantes e comunidade nas solturas

Começa no dia 20 e segue até o dia 31 de março, a soltura de 735 mil peixes no Paranapanema. São pacus, curimbatás, piaparas, piaus e lambaris, espécies nativas e importantes para a cultura da pesca local. Promovidas pela CTG Brasil, concessionária de oito hidrelétricas ao longo do rio, as ações ocorrem nos reservatórios de: Jurumirim, 80 mil exemplares; Salto Grande, 160 mil; Canoas I e II, 200 mil; Capivara, 80 mil; Taquaruçu, 60 mil; e Rosana, 155 mil peixes.

“A represa de Chavantes já foi contemplada no ciclo reprodutivo 2016-2017 com 278 mil novos peixes, por isso não integra esse calendário de março”, explica o coordenador do programa de manejo pesqueiro da CTG Brasil, biólogo Norberto Vianna. “Mas voltará a participar do próximo ciclo”, ressalta.

Divididos em lotes, os 735 mil peixes serão distribuídos em pontos estrategicamente selecionados por oferecerem boas condições de abrigo e alimentação às espécies, em 10 municípios paulistas e paranaenses. “Uma vez adaptados, eles se dispersarão pela Bacia do Paranapanema”, expõe Vianna.

A companhia irá soltar, ao longo de 2017, o total de 1,5 milhão de peixes nos reservatórios do Paranapanema, dando sequência ao programa realizado pela concessionária antecessora. Estudantes e autoridades municipais são convidados a participar das atividades, abertas também à comunidade em geral.

“O repovoamento de peixes no Paranapanema contribui para a preservação da biodiversidade e favorece o desenvolvimento regional através do turismo da pesca. Por isso, é tão importante o engajamento das comunidades”, comenta o coordenador do programa.

Educação ambiental

Nas cidades onde ocorrem as ações, a CTG Brasil também proporciona educação ambiental para estudantes de escolas municipais, que recebem palestra sobre reprodução dos peixes e preservação dos recursos hídricos, e ainda vivenciam a soltura dos peixes na natureza.

Responsável por essa atividade, o analista ambiental da companhia, Guilherme Verri, diz que a parceria com as prefeituras viabiliza a participação dos alunos, que atuam como importantes multiplicadores das informações em suas comunidades. “Neste mês em que é celebrado o Dia Mundial da Água [22 de março], temos uma oportunidade a mais para abordar a importância da preservação e da proteção deste bem natural, que é finito e indispensável à vida”, destaca Verri.

Asimp/ CTG Brasil

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.