Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Companhia também proporciona palestra ambiental e recebe estudantes e comunidade nas solturas

Começa no dia 20 e segue até o dia 31 de março, a soltura de 735 mil peixes no Paranapanema. São pacus, curimbatás, piaparas, piaus e lambaris, espécies nativas e importantes para a cultura da pesca local. Promovidas pela CTG Brasil, concessionária de oito hidrelétricas ao longo do rio, as ações ocorrem nos reservatórios de: Jurumirim, 80 mil exemplares; Salto Grande, 160 mil; Canoas I e II, 200 mil; Capivara, 80 mil; Taquaruçu, 60 mil; e Rosana, 155 mil peixes.

“A represa de Chavantes já foi contemplada no ciclo reprodutivo 2016-2017 com 278 mil novos peixes, por isso não integra esse calendário de março”, explica o coordenador do programa de manejo pesqueiro da CTG Brasil, biólogo Norberto Vianna. “Mas voltará a participar do próximo ciclo”, ressalta.

Divididos em lotes, os 735 mil peixes serão distribuídos em pontos estrategicamente selecionados por oferecerem boas condições de abrigo e alimentação às espécies, em 10 municípios paulistas e paranaenses. “Uma vez adaptados, eles se dispersarão pela Bacia do Paranapanema”, expõe Vianna.

A companhia irá soltar, ao longo de 2017, o total de 1,5 milhão de peixes nos reservatórios do Paranapanema, dando sequência ao programa realizado pela concessionária antecessora. Estudantes e autoridades municipais são convidados a participar das atividades, abertas também à comunidade em geral.

“O repovoamento de peixes no Paranapanema contribui para a preservação da biodiversidade e favorece o desenvolvimento regional através do turismo da pesca. Por isso, é tão importante o engajamento das comunidades”, comenta o coordenador do programa.

Educação ambiental

Nas cidades onde ocorrem as ações, a CTG Brasil também proporciona educação ambiental para estudantes de escolas municipais, que recebem palestra sobre reprodução dos peixes e preservação dos recursos hídricos, e ainda vivenciam a soltura dos peixes na natureza.

Responsável por essa atividade, o analista ambiental da companhia, Guilherme Verri, diz que a parceria com as prefeituras viabiliza a participação dos alunos, que atuam como importantes multiplicadores das informações em suas comunidades. “Neste mês em que é celebrado o Dia Mundial da Água [22 de março], temos uma oportunidade a mais para abordar a importância da preservação e da proteção deste bem natural, que é finito e indispensável à vida”, destaca Verri.

Asimp/ CTG Brasil

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios