Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Por José Carlos Farina

Ontem pela manhã, o pessoal autorizado pela Prefeitura fizeram o maior "estrago" no bosque que honrosamente o povo de Londrina conservou por mais de 80 anos. 

Não foi para isso que a Cia de Terras reservou este bosque. Já em 1930 a Cia de Terras profetizava que Londrina iria se tornar uma grande metrópole e precisaria deste Bosque para rebater o calor e umedecer o ar através da fotossíntese graciosamente feita pelas árvores. 

Os inteligentes engenheiros ingleses planejaram também com este bosque um lugar para que pudéssemos contemplar a maravilhosa criação de Deus, pois ali temos belas árvores e belas aves que ainda se arriscam pousar e cantar nas alvoradas e no  entardecer. Bom, me desculpem os engenheiros atuais da prefeitura de Londrina, mas eu, mesmo não tendo a vossa formação, não deixaria cortar uma árvore sequer desta santuário ecológico. 

No meu entendimento, comparando o Bosque de Londrina com o Parque do Ingá de Maringá, nós teríamos que plantar o dobro de árvores. 

Perdemos mais uma vez para Maringá em qualidade de vida. Isso que os novos planejadores da cidade fizeram não passa de um crime contra o meio ambiente. 

Nunca mais recuperaremos estas centenárias arvores, mesmo que um outro prefeito queira amenizar este prejuízo ambiental. Este pequeno trecho de rua aberto com a morte destas indefesas árvores não vai  aliviar nada o caos que vemos em nosso trânsito. São milhares de carros que transitam a todo instante. 

A única solução para aliviar este intenso trânsito seria proibir o trânsito de véiculos de acordo com as placas em dias alternados. O bosque não é culpado de nada. 

Sou morador de Rolândia mas  estou sentido muita dor no peito pela matança destas pobres e lindas árvores que já estão fazendo falta para o nosso meio ambiente. 

Deixo aqui o meu protesto. Protesto de alguém que ama e defende o meio ambiente já há mais de 25 anos. Peço ao povo de Londrina que nunca mais permita crimes iguais a este. 

Deus tenha piedade e misericórdia de quem assinou esta triste ordem. 

José Carlos Farina - Advogado – Rolândia/Pr

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios