Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza está com dois editais abertos para seleção de projetos de conservação do meio ambiente no Paraná. Interessados em concorrer ao apoio financeiro podem se inscrever até 31 de agosto, tanto no tradicional Edital de Apoio a Projetos de Conservação, quanto no Edital Biodiversidade do Paraná, realizado em parceria com a Fundação Araucária.

Os editais selecionarão pesquisas realizadas em qualquer ecossistema registrado no Paraná e em todas as regiões do estado, inclusive na zona marinha. As linhas temáticas de apoio, as áreas priorizadas, bem como o processo de seleção são diferentes em cada um dos dois editais.

Essa tradicional chamada pública é realizada pela Fundação Grupo Boticário desde 1991, com duas edições por ano, uma a cada semestre. Centenas de projetos já foram apoiados em todas as regiões brasileiras por esse edital, que agora terá a segunda chamada de cada ano regionalizada.

 Para essa primeira edição regionalizada, foram escolhidos como alvos dois ecossistemas com ocorrência nos três estados do Sul do Brasil (Floresta com Araucárias e Campos Sulinos Associados), além de um bioma com ocorrência restrita ao Rio Grande do Sul, o Pampa.

 “A regionalização possibilita concentrar esforços em áreas prioritárias para a conservação e que necessitam de ações urgentes. Além disso, com atuação mais restrita, as pesquisas selecionadas serão mais próximas e poderão ser complementares”, afirma a diretora executiva da Fundação Grupo Boticário, Malu Nunes.

 A situação dos ecossistemas priorizados justifica o foco da instituição: a Floresta com Araucárias (Floresta Ombrófila Mista) está quase extinta, sofrendo principalmente com a extração hoje ilegal de madeira de espécies nativas e com a expansão da fronteira agrícola. Os Campos Sulinos, associados a essa floresta, são áreas planas com predominância de vegetação campestre e de altitude elevada. Os principais desafios que enfrentam são a conversão de áreas nativas para monocultura de soja ou para a silvicultura (cultivo de árvores como pinus e eucalipitus) que abaste a indústria de celulose. A gralha-azul (Cyanocorax caeruleus), a araucária (Araucaria angustifolia), o papagaio-charão (Amazona petrei) e a erva-mate (Ilex paraguariensis) são espécies desses ecossistemas.

Lançado em 2012 e com chamadas anuais, esse edital é realizado em parceria com a Fundação Araucária. Nessa chamada pública, são priorizadas pesquisadas realizadas no trecho paranaense do Lagamar, complexo estuarino que começa no litoral sul de São Paulo e engloba todo o litoral do Paraná, além daquelas com foco na Floresta com Araucárias e fitofisionomias associadas. Apesar dessas priorizações, o Edital recebe propostas de qualquer ecossistema do estado, independente da região, tais como: manguezais e restingas (litoral), campos e cerrados (região dos campos gerais), Floresta Estacional Semidecidual (registrada no Parque Nacional do Iguaçu), Floresta Ombrófila Mista ou Densa, entre outros associados.

Os editais possuem linhas de apoio compartilhadas: elas contribuem para a seleção de pesquisas que gerem resultados efetivos para a conservação e que contribuem para a criação ou implementação de políticas públicas conservacionistas. Uma dessas linhas prioriza iniciativas para a criação ou ampliação de Unidades de Conservação (UCs) de Proteção Integral e Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs). Projetos que envolvam atividades prioritárias previstas nos planos de manejo das UCs e RPPNs também terão preferência.

Ações relacionadas às espécies ameaçadas de ocorrência nos ecossistemas-alvo também possuem uma linha específica. O objetivo é selecionar iniciativas que contemplem a execução de ações prioritárias previstas nos chamados Planos de Ação Nacional (PAN). Os PANs são documentos produzidos pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e  apresentam o status de conservação de determinada espécie ou ecossistema, suas principais ameaças, além de elencar objetivos prioritários de conservação. Essa linha temática selecionará ainda projetos cujo objetivo seja a definição do status de ameaça de espécies que ainda não figuram como ameaçadas ou ações emergenciais para espécies ameaçadas que ainda não possuam PAN.

O Edital Biodiversidade do Paraná possui ainda uma terceira linha temática. Nela são priorizados estudos com foco na proteção e redução da pressão sobre a biodiversidade marinha do Lagamar.

Como se inscrever:

Para o Edital de Apoio a Projetos de Conservação, os interessados podem se inscrever até 31 de agosto, exclusivamente pelo site www.fundacaogrupoboticario.org.br, na seção ‘editais’. As pesquisas precisam ser realizadas por instituições sem fins lucrativos.  

Para o Edital Biodiversidade do Paraná, o prazo também é 31 de agosto, mas a submissão das propostas varia de acordo com a natureza da instituição proponente, que deve ter sede e CNPJ no Paraná. Instituições de ensino superior, públicas ou privadas, devem se inscrever pelo site www.fundacaogrupoboticario.org.br, enquanto outras organizações devem submeter as propostas pelo www.fundacaoaraucaria.org.br.

Para obter mais detalhes sobre o processo de inscrição, os interessados podem contatar a equipe da Fundação Grupo Boticário, pelo endereço edital@fundacaogrupoboticario.org.br. As linhas de apoio, bem como as exigências específicas de cada uma delas também estão disponíveis na seção ‘Editais’ do site da instituição.

Assessoria de Comunicação / NQM-Comunicações

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios