Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Unidade da Unopar em Londrina faz campanha para abolir o uso de copos descartáveis e troca todas as lâmpadas para economizar energia elétrica

Num contexto em que o meio ambiente se tornou preocupação de todos, racionalizar o uso da água e da energia elétrica significa muito mais do que fazer economia. Embora diminuir a conta de luz seja muito interessante, principalmente depois do reajuste já anunciado pelo Governo Federal, há outras vantagens que impactam a segurança e a saúde das pessoas. Elas foram os maiores incentivos para que a direção da Unidade Unopar Catuaí decidisse trocar todas as lâmpadas fluorescentes por lâmpadas LED. “Reduzir o consumo de energia elétrica era um desafio para nós. Vi alguns cálculos feitos por nossos professores e alunos do curso de Engenharia Elétrica e fiquei animado com o desempenho das lâmpadas de LED. Fiz um teste na minha própria casa, substituindo as fluorescentes por LED e constatei uma economia de 30%. Foi aí que resolvemos fazer essa mudança aqui na Universidade”, conta o diretor Carlos Henrique Vicci, que é formado em Física. Como são 3.800 lâmpadas, a troca está sendo feita aos poucos. A meta é ter só lâmpadas de LED até o dia 23 de fevereiro, quando começam as aulas.

Os primeiros locais a ganhar nova iluminação foram a biblioteca, onde a luz fica acesa 12 horas por dia, e o refletor da bandeira, que fica ligado 8 horas por noite. Para se ter uma ideia da economia, o antigo refletor era de 400 watts; o novo tem 100 watts: “Só nesse ponto temos uma economia de 75%”, diz o diretor. Só com lâmpadas fluorescentes o consumo total de energia elétrica da Unidade era de aproximadamente 30 mil watts hora; quando todas forem trocadas por LED o consumo deve cair para 17 mil watts hora, praticamente a metade.

Além da economia na fatura mensal da Copel, as lâmpadas de LED oferecem outras vantagens:

- São mais duráveis (enquanto uma lâmpada tubular fluorescente dura de 6 meses a 1 anos, a LED dura cinco anos)

- Não emitem CO2 (só com a troca das lâmpadas serão menos 30 toneladas por ano na Unidade)

- Não emitem raios UV (ultravioleta), causadores de câncer de pele

- Têm maior faixa de frequência de luminosidade, o que as torna ideais para o trabalho e estudo

- São totalmente recicláveis

- São mais seguras (não quebram nem explodem e não contém substâncias tóxicas)

‘Um banho de cidadania’

Depois das lâmpadas foi a vez dos bebedouros. Os modelos antigos fora substituídos por novos, com torneiras, maior capacidade de volume, maior refrigeração e maior vazão de água. De olho na enorme quantidade de copinhos de plástico descartados pela Unidade, a direção iniciou uma campanha para que os alunos participem trazendo seus próprios copos, canecas ou “squeeze”. “Nossa preocupação é com o passivo ambiental que estamos gerando para a comunidade. Isso é responsabilidade da gestão e também dos alunos. Não adianta a gente reclamar de enchentes e de falta d´água se descartamos milhares de copos de plástico. Acredito que essa campanha de reeducação é um gesto concreto de cuidado e respeito ao meio ambiente”, justifica o diretor. Só com essa mudança a Unidade deixa de descartar 125 mil copos plásticos por mês. A mesma atitude serviu de exemplo para outra unidade da Unopar em Londrina, a Tietê, onde eram descartados mensalmente 100 mil copos de plástico antes da campanha.

A Unidade também investiu em equipamentos de ar-condicionado que consomem menos energia, com a mesma eficiência e não retiram a umidade do ar.

Phoenix Finardi/Asimp/Unopar

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.