Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Organização Meteorológica Mundial aponta crescimento de 147% em relação ao período pré-industrial

O nível de concentração dos principais gases do efeito estufa atingiram os maiores níveis em 2018. Pelo menos é o que aponta a Organização Meteorológica Mundial, instituição ligada à Organização das Nações Unidas.

O dióxido de carbono (CO2), resíduo proveniente de diversas atividades humanas e um dos principais causadores do efeito climático, atingiu no ano passado uma concentração de 407,8 partes por milhão. A marca é um recorde e ultrapassa em 147% do que foi registrado no período pré-industrial, de 1750. Outras substâncias, como o metano (CH4) e o óxido nitroso (N2O) tiveram suas taxas anuais elevadas, acima das médias registradas nas últimas décadas.

A pesquisa ainda revela que não há indícios para uma redução na emissão dos gases. O documento leva em conta os gases que são emitidos na atmosfera e permanecem nela.

Estados Unidos, China, União Europeia e índia representam mais da metade das emissões de gases. Vale lembrar que, no início de novembro, o presente norte-americano, Donald Trump, oficializou a saída dos Estados Unidos do Acordo de Paris, tratado de 2015 que traçou metas para os países sobre o aquecimento global.

O relatório foi divulgado dias antes da reunião anual da ONU sobre as mudanças climáticas. O COP25 é a conferência anual com os países da ONU sobre as mudanças do clima. Em 2015 ela chega a 25ª edição está marcada para o período entre 2 e 13 dezembro em Madri.

Raphael Costa/Agência do Rádio

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.