Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) testará a partir deste mês de junho uma nova estruturação da Coordenadoria de Acidentes Ambientais, que passará a atender os acidentes de maneira descentralizada, com mais agilidade e critérios ambientais. O objetivo é melhorar o gerenciamento aos acidentes deste tipo no Estado.

Com a modernização, a Coordenadoria prestará atendimento especializado aos acidentes que realmente causam impacto ambiental e que podem causar maiores transtornos para o meio ambiente e a população. “A ideia é direcionar o atendimento do IAP para aqueles acidentes que realmente apresentam risco para o meio ambiente e atuar mais nos programas de prevenção das atividades que já são licenciadas pelo IAP. Vamos priorizar a prevenção e na mitigação do impacto imediato dos acidentes”, explicou a diretora de Monitoramento Ambiental e Controle da Poluição, Ivonete Chaves.

As mudanças instituídas pela portaria do IAP nº 086 de 13 de maio de 2015 Já foram apresentadas aos gestores do Instituto. Segundo a portaria, os chefes regionais passam a ser responsáveis pelo atendimento aos acidentes ambientais e cabe a eles designar os técnicos com o conhecimento e treinamento mais indicados para cada situação.

Por isso, os técnicos que realizarem o atendimento a acidentes que ocorrerem em fins de semana (sábado e domingo), feriados ou após as 18 horas receberão o pagamento de horas-extras pelos serviços prestados, mediante comprovação e autorização da Secretaria de Administração e Previdência.

O atendimento também conta com o apoio de três laboratórios do IAP, em Curitiba, Londrina e Toledo, para serviços de coleta de amostras e de ensaios laboratoriais.

Macrorregiões

Esta nova regulamentação também define seis macrorregiões para que sejam atendidos todos os municípios, estradas e empresas do Estado.

Os coordenadores dessas macrorregiões terão equipamentos básicos para o atendimento aos acidentes, como veículos, máquinas fotográficas, GPS, telefone celular e Equipamento de Proteção Individual (EPIs), além de outros que o coordenador julgar necessários para as características locais.

Foram definidas as macrorregiões de Campo Mourão (que também atenderá os escritórios de Cianorte, Pitanga e Guarapuava), Litoral, Curitiba (que também atenderá o escritório de União da Vitória), Ponta Grossa (que inclui Irati), Londrina (para atender os escritórios de Jacarezinho, Cornélio Procópio, Ivaiporã, Maringá e Paranavaí), e Toledo (que englobará Umuarama, Cascavel, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão e Pato Branco).

Esta nova proposta será apresentada e discutida com os demais órgãos parceiros e instituições ligadas à questão, como Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e concessionárias de rododvias, que também fazem o atendimento a acidentes ambientais. “O objetivo é definir em conjunto com esses parceiros quando o IAP deve realmente ser acionado e discutir como podemos prevenir essas ocorrências em locais que já possuem históricos de acidentes ambientais”, disse Ivonete.

Treinamento

A nova Coordenadoria de Acidentes Ambientais já entregou aos chefes regionais um manual de coleta de amostras e a listagem dos técnicos que já foram capacitados para coleta de amostras e atendimento a acidentes. Também serão ministrados cursos de reciclagem aos técnicos para a coleta de amostras em diferentes condições e ambientes e para o atendimento a acidentes ambientais.

Asimp/IAP

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios