Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

“Composta Agora Ibiporã” será lançado nesta sexta-feira (04). Objetivo é a educação ambiental da comunidade escolar transformando resíduos orgânicos em húmus

A Prefeitura Municipal de Ibiporã, Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) e a empresa Kurika Ambiental lançam amanhã (04/03) o projeto de educação ambiental “Composta Agora Ibiporã”. O objetivo do projeto é a educação ambiental da comunidade escolar, através da minimização de geração de resíduos orgânicos nas escolas municipais de Ibiporã, introduzindo a vermicultura como redução de massa orgânica resultantes das merendas escolares, poda de gramas, folhas secas a qual proporcionará a geração de húmus (matéria orgânica depositada no solo, que resulta da decomposição de animais e plantas mortas, ou de seus subprodutos).

Inicialmente, o projeto será realizado nas seis escolas municipais de período integral, começando pelas Escolas Municipais Prefeito Alberto Spiaci (Caic da Vila Esperança) e Mário de Menezes.

O suporte técnico será dado pela equipe da Kurica Ambiental, empresa responsável pela coleta seletiva dos resíduos em Ibiporã.  As escolas serão orientadas quanto ao uso do húmus, e suas propriedades para auxiliar no desenvolvimento de jardins e hortas comunitárias. Os alunos serão instruídos sobre como montar e organizar seu minhocário, manejar corretamente caixas e acessórios e acompanhar e controlar as etapas de produção.

Segundo o diretor de Limpeza Pública do Samae, Miguel Guardini, para o conhecimento e assimilação das técnicas utilizadas, a Prefeitura, o Samae e a Kurica Ambiental promoverão visitas de representantes das escolas às instalações do projeto matriz já em andamento na Kurica Ambiental. “A vermicompostagem é uma forma rápida, prática e econômica de recuperar os nutrientes dos resíduos orgânicos e levá-los de volta ao ciclo natural, enriquecendo o solo para a agricultura ou jardinagem. Além disso, é uma maneira de reduzir o volume de resíduos produzidos, destinando-os corretamente”, ressalta Gardini.

Em Ibiporã, cada munícipe gera uma média de 800 gramas de resíduos diariamente, sendo 600 gramas apenas de orgânico. De todo o resíduo orgânico que chega de Ibiporã, apenas 40% consegue ser aproveitado para compostagem, pois os outros 60% são rejeitos, mostrando que ainda precisa melhorar a segregação na fonte por parte da população.

Asimp/PMI

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.