Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Após cerca de dois anos de suspensão por causa da pandemia, o IAT recepcionou 34 estudantes do 4º e 5º anos do Ensino Fundamental para uma atividade lúdica. Objetivo é despertar a educação ambiental na sociedade, especialmente nas crianças.

O Viveiro Florestal do Instituto Água e Terra (IAT) em Jacarezinho, no Norte Pioneiro do Estado, voltou a recepcionar estudantes por meio do projeto de educação ambiental, ontem (23). Ao todo, 34 alunos do 4º e 5º anos do Ensino Fundamental da Escola Municipal Professora Ruth Pimentel Rocha tiveram a experiência de um dia no campo com atividades diferenciadas.

A visita agendada é reflexo da retomada das atividades após cerca de dois anos suspensas por causa da pandemia.

“A experiência de estudantes nos nossos viveiros é fundamental para que eles cuidem do meio ambiente. A conservação da natureza só se dará no contato direto das crianças com as árvores”, destacou o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes.

Os estudantes estiveram no espaço do IAT através de um projeto do Sesc Paraná, que mantém parcerias com escolas municipais para que os alunos vivenciem na prática o que aprendem em sala de aula.

 “Esse foi mais um projeto com relação à sustentabilidade. Esse passeio foi importante, principalmente, porque os alunos ficaram muito tempo com aula online e, com isso, acabam esquecendo um pouco a importância das árvores para todos nós”, destacou a coordenadora de Educação do Sesc, Nisia Camargo Di Nizo Fantinelli.

 “Eles questionaram, perguntaram sobre as espécies e ficaram encantados com a trilha e com o plantio de mudas que fizeram ao final do passeio. Foram para casa sabendo o nome da muda de árvore que levaram, foi muito gostoso o passeio”, completou a coordenadora.

Também participam do projeto os orientadores do Sesc Amanda Theodoro; Elga Lemos Gomes do Amaral; Altair Bárbaro; Maria Carolina Cornélio; e o gerente do Sesc, José Dimas Fonseca.

Educação Ambiental

Segundo o chefe regional do IAT em Jacarezinho, Marco Antonio Pinto, as crianças aprenderam a fazer o transplante de mudas de árvores nativas para uma garrafa PET e a levaram para plantar em casa.

“Essa vivência é muito interessante, tanto do ponto de vista das crianças, que voltaram a ter atividades externas, quanto do ponto de vista nosso, que retornamos com visitas no Horto Florestal do nosso Viveiro, permitindo a integração com a natureza e com o sistema de produção de mudas”, disse.

O IAT mantém 19 viveiros florestais em todo o Estado, com produção média de 3 milhões de mudas ao ano, de 100 espécies de árvores nativas. Para saber se o local possui visitação e atividades, basta ligar para o IAT da sua cidade. Veja a lista aqui.

De acordo com o diretor-presidente do IAT, Everton Souza, é feito um trabalho minucioso e completo para a produção de mudas de árvores nativas nos viveiros florestais.

 “A muda precisa estar madura para que ela vingue e se torne uma árvore no futuro, gerando frutos e qualidade de vida à fauna e às crianças de hoje”, disse.

Daniele Iachecen/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.