Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Ncom/PML

A Prefeitura de Londrina, através da Secretaria do Ambiente (Sema), divulgou hoje (6), o balanço da operação de fiscalização das empresas de lava-rápidos da cidade. Das nove vistoriadas pelos técnicos, cinco foram notificadas por apresentarem problemas técnicos. 

As empresas desse ramo precisam ter caixas retentoras de lama, óleo e graxa para impedir que estas substâncias entrem em contato com a rede pluvial de captação de águas. Os reservatórios evitam que os produtos oleosos contaminem as águas dos lagos Igapó 1,2,3 e 4.

Os empreendimentos foram notificados devido à falta desses poços retentores ou por não apresentarem alvará de licença da Prefeitura para funcionamento. Após a notificação e o parecer técnico entregue pelos fiscais da Sema, as empresas têm sete dias para se adequarem. 

Estão envolvidos na operação duas equipes de três técnicos cada. A Sema visa fiscalizar os lava-rápidos, a fim de prevenir que não ocorram crimes ambientais. A proibição de despejo de água residual em redes coletoras de água fluvial está prevista no Código Ambiental do Município.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios