Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Descarte obrigou funcionários da CMTU a fazerem novamente a limpeza; documentos encontrados entre os resíduos levaram companhia a autuar o responsável

Poucos dias após receber limpeza durante as ações do mutirão de serviços “Cuidando da Cidade”, o fundo de vale da rua Carlos Clementino Moreira, no conjunto Cafezal, região sul de Londrina, voltou a ser alvo de descarte irregular de lixo. Ontem (13), agentes da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) flagraram no local o despejo de madeiras, sofás, roupas, papéis e artigos domésticos. Por causa disso, uma equipe precisou ser deslocada para novamente fazer a remoção dos resíduos.

Durante o recolhimento, os fiscais encontraram boletos de água e luz, além de documentos que indicavam a origem do material. Com as evidências em mãos, os servidores foram até o endereço exibido nas contas – um condomínio residencial na rua Orlando Maimone, no Vale dos Tucanos – para entregar a autuação ao responsável.

Na abordagem, o morador afirmou não ter sido o autor do descarte e se recusou a assinar o auto de infração. No entanto, admitiu ter solicitado a terceiros a retirada dos itens do imóvel recentemente alugado por ele. “O cidadão argumentou que o material havia ficado para trás após a mudança do antigo inquilino. Aí, como novo locatário, ele contratou um serviço de limpeza”, explicou a coordenadora de fiscalização da CMTU, Josiane Correia.

A servidora disse que, apesar de não ter sido o responsável pelo despejo da sujeira, o morador é coautor do descarte, uma vez que transferiu a outras pessoas a obrigação em dar destinação correta aos itens. “Agora, como não conseguimos entregar o auto em mãos, vamos encaminhá-lo por correspondência”, contou.

De acordo com o Código de Posturas do Município, Lei n° 11.468/2011, atirar resíduos em fundos de vale e terrenos baldios – áreas públicas ou particulares – pode gerar multa de até R$ 3 mil. Se o caso ainda configurar crime ambiental pelas autoridades competentes, o valor da autuação pode chegar a R$ 50 milhões.

Além da rua Carlos Clementino Moreira, a CMTU tem feito a limpeza de diversos fundos de vale e pontos de descarte irregular no conjunto Cafezal. A iniciativa, acompanhada de uma série de melhorias promovida pela Prefeitura de Londrina com o mutirão “Cuidando da Cidade”, já resultou na remoção de mais de 20 caminhões lotados de detritos.

Denúncias de despejo clandestino de lixo e entulho podem ser registradas na CMTU pelo telefone 3379-7900. O atendimento funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

(Danylo Alvares / Assessoria CMTU)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.